Jill Söderberg, de 22 anos, morreu em casa, na Suécia, com dificuldades respiratórias, apesar de nos dias que precederam a morte, ter ligado três vezes para os serviços de emergência médica.

A jovem terá dito aos operadores que não conseguia respirar e implorou por ajuda, no entanto, estes disseram que se ela ainda conseguia falar é porque não precisava de cuidados médicos, segundo o Daily Mail.

Jill morreu de paragem respiratória, depois de ter tomado uma combinação de relaxantes musculares e medicação contra a ansiedade.

As autoridades acusaram o serviço de emergência de negligência, por não terem colocado questões a Jill que determinariam a gravidade do estado dela.