Jornal de Letras

Siga-nos nas redes

Perfil

Bronco Angel, de Fernando Assis Pacheco

Letras

Com Bronco Angel, o cow-boy analfabeto, um folhetim inédito em livro, a Tinta-da-China dá início à publicação das obras completas de Fernando Assis Pacheco, jornalista, poeta, romancista, novelista, contista, mestre em todas as dimensões da palavra. Eis um naco de prosa deste livro que é, acima de tudo, um divertimento

Os meus primeiros tempos como ajudante do xerife Jimmy Cicatriz não foram isentos de dificuldades. Rigoroso em todas as voltas da vida, o meu boss exigia na mínima circunstância, mesmo com dois ss (circunstânssia), aquilo que se poderia chamar competência na decisão (com z ou com s, agora estou um bocadinho indeciso; por acaso decisão não fica mal, e melhor ainda dessizão!), Bem, isto sou eu a ver sse asserto.

«Sabes ler, escrever e contar?», perguntou-me o xerife quando apareci ao trabalho na primeira inolvidável manhã da nossa colaboração.

«Sei apanhar gafanhotos à palmada», respondi. «E sei jogar à macaca. E sei quem foi o primeiro rei de Portugal».

“Quem foi?”

“Dom João V.”

«Óptimo. Não quero cá analfabetos.»

Aí pelas onze tocou o telefone. Fui atender. Era uma voz feminina.

«Tá? O Jimmy tá?»

«Desculpe, minha senhora», articulei excitadíssimo, «vou já chamar.»

Passei o aparelho ao meu chefe, dizendo-lhe ao ouvido:

«É uma senhora! Topa-se à légua!»

O velho Jimmy Cicatriz pigarreou, pegou no aparelho e disse:

«Good morning, madam!»

Mas não era puto uma senhora, nem mesmo por aproximação: era o temível Búfalo Poia que ligara de Miami para avisar que dentro de uma semana estaria em Crow Junction.

«Búfalo Poia? Hum, não se diria. Com aquela voz…»

«Com aquela voz o caraço!», replicou Jimmy Cicatriz. «Partiu dois dentes e pôs uma placa, ora essa. Ou já não sabes distinguir uma placa de um dó de peito?”

O incidente foi o primeiro de uma série de mal-entendidos que me iam custando o lugar. Jimmy Cicatriz marrava comigo que era um disparate, sobretudo em questões de ortografia.

Fernando Assis Pacecho

BRONCO ANGEL, O COW-BOY ANALFABETO

Tinta-da-China, 128 pp, 14,90 euros