Jornal de Letras

Siga-nos nas redes

Perfil

Festival de Filosofia de Abrantes: Jovens pensadoras

Ideias

Três alunas do secundário e uma caloira de Direito mostraram no Festival de Abrantes que a Filosofia não tem idade. Retratos de quem gosta de pensar antes de falar, acreditar que nada acontece por acaso, ver sempre o lado positivo e nunca desistir

Antes de o ser já o era, disso ninguém duvidava. A sessão com as jovens pensadoras do Festival de Filosofia de Abrantes, que decorreu no passado sábado, 10, estava fadada para ser a mais concorrida, inesperada e emotiva. Pelo orgulho dos organizadores, que vêm os frutos das sementes que lançaram à terra. Pelo entusiasmo dos professores, que comprovam o ditado chinês: o mais importante é ensinar a pescar. E pela emoção dos pais, que renovam a confiança no futuro ao verem as filhas em tão inesperado palco .

Da sessão também se pode dizer que houve de tudo. Ana Catarina Oliveira fez uma pausa no estudo para repetir a presença do ano passado e apresentar a sua visão do futuro. Marta Mousaco foi convocada em cima da hora, substituindo uma colega. Recebeu, por isso, muitos elogios. Longe das polémicas parlamentares e da troca de cartas públicas entre Manuel Alegre e António Costa, alguém chegou a sugerir que a aluna conseguiu “agarrar o touro pelos cornos”, isto é, perceber em profundidade os impactos da Inteligência Artificial no mundo do trabalho. Matilde Lourenço, a mais nova, vogou ao leme de Ortega y Gasset, convocando um conceito tão difuso quanto o da Filosofia: a Felicidade. E Inês Esteves, representante do Ensino Profissional, disse tudo o que se pode dizer sobre este campo do saber. No seu estilo direto e vivo, afirmou: “Fui convidada para falar neste festival, mas não faço ideia do que seja a Filosofia”. A resposta veio da plateia: “Não te preocupes, sou professora da disciplina há 20 anos e também não sei o que seja”.

Entre a dúvida metódica e o caminho na escuridão, as quatro alunas, três do secundário, uma já do ensino superior, fazem da Filosofia uma ferramenta para encarar o dia-a-dia. Não pensam fazer dela uma opção profissional, mas também não a dispensam. Eis os seus retratos em jeito de inquérito.

Ana Catarina Oliveira

Ana Catarina Oliveira no Festival de Filosofia de Abrantes

Ana Catarina Oliveira no Festival de Filosofia de Abrantes

José Carlos Carvalho

Idade: 18 anos
Naturalidade: Abrantes
Formação: 1.º ano de Direito na Universidade Católica de Lisboa
Aspirações profissionais: Num curso de banda larga como o de Direito, oscilo entre a advocacia, a magistratura e a diplomacia.

Inteligência Artificial, uma ameaça ou uma vantagem?: É acima de tudo uma construção humana. Decidir se é uma ameaça ou uma vantagem depende a forma como a quisermos encaixar nas nossas vidas. Hoje encaramos a Inteligência Artificial como uma ameaça da mesma forma que há cem anos receávamos a industrialização.

Futuro, uma preocupação: Nem todos (a maior parte) estarem conscientes dos perigos que corremos. Sem essa consciência nunca estaremos preparados para enfrentar os desafios do futuro.
Futuro, um desejo: Sabendo que os robots vão entrar nas nossas vidas, criar espaço para o que nos mantém humanos: a espontaneidade.

Filosofia, uma definição: Um processo em permanente construção. A Filosofia não se define, vive-se.
Filosofia, como a uso no dia-a-dia: O pensamento crítico deve estar presente em todos os momentos das nossas vidas.

Lema de vida: Pensar antes de falar. Há um fosso gigante entre quem se dedica a esse exercício e quem apenas fala.

Marta Mousaco

Marta Mousaco no Festival de Filosofia de Abrantes

Marta Mousaco no Festival de Filosofia de Abrantes

José Carlos Carvalho

Idade: 17 anos
Naturalidade: Mação
Formação: 12.º ano da Escola Secundária de Mação
Aspirações profissionais: Jornalista

Inteligência Artificial, uma ameaça ou uma vantagem: Manda a prudência esperar para ver. Haverá certamente muitas vantagens, sobretudo no campo da Medicina. Mas em outras áreas apetece dizer que será uma ameaça.

Futuro, uma preocupação: Desemprego generalizado com a robotização do mundo do trabalho.
Futuro, um desejo: Igualdade e Justiça.

Filosofia, uma definição: A única definição de Filosofia é a sua indefinição.
Filosofia, como a uso no dia-a-dia: Da resolução das situações práticas da vida às conversas com os amigos, ela surge quando menos se espera.

Lema de vida: Viver um dia de cada vez, porque nada acontece por acaso.

Matilde Lourenço

Matilde Lourenço no Festival Literário de Abrantes

Matilde Lourenço no Festival Literário de Abrantes

José Carlos Carvalho

Idade: 16 anos
Naturalidade: Sardoal
Formação: 11.º ano da Escola Secundário do Sardoal
Aspirações profissionais: Farmácia, Engenharia, Gestão Industrial ou Fisioterapia. Um grande dilema.

Inteligência Artificial, uma ameaça ou uma vantagem: Seguramente uma vantagem, sobretudo pela liberdade que nos proporcionará. Livres do tempo que dedicamos ao trabalho, seremos capazes de nos conhecer a nós próprios em maior profundidade.

Futuro, uma preocupação: Sem trabalho, nem rendimentos, a criminalidade pode aumentar.
Futuro, um desejo: Justiça e Felicidade.

Filosofia, uma definição: Tudo o que fazemos.
Filosofia, como a uso no dia-a-dia: Na distinção entre o bem e o mal.

Lema de vida: Tudo tem um lado positivo.

Inês Esteves

Inês Esteves no Festival de Filosofia de Abrantes

Inês Esteves no Festival de Filosofia de Abrantes

José Carlos Carvalho

Idade: 18 anos
Naturalidade: Rio de Mouro
Formação: 12.º ano na Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes
Aspirações profissionais: Neste momento, Hotelaria, mas não nos devemos limitar a uma área. É preciso evoluir, desenvolver constantemente as nossas capacidades e conhecimentos.

Inteligência Artificial, uma ameaça ou uma vantagem: Depende de que realidade estamos a falar. No espaço rural é sem dúvida uma ameaça. Aniquilará as dimensões afetiva e comunitária. Hoje, com máquinas de todo o género e feitio, uma pessoa faz o trabalho de muitas. Rentabilizam-se os recursos, mas anula-se a proximidade humana.

Futuro, uma preocupação: A estabilidade no emprego.
Futuro, um desejo: Não sermos engolidos pelo mundo digital e sabermos a diferença entre o que é humano e o que é artificial.

Filosofia, uma definição: A capacidade de falarmos em conjunto e de chegarmos a conclusões distintas.
Filosofia, como a uso no dia-a-dia: Na resolução de conflitos. Teremos sempre o nosso ponto de vista, mas é preciso levar em conta o do outro.

Lema de vida: Por mais problemas que surjam, desistir nunca pode ser uma opção. Cair, levantar e seguir em frente.