Jornal de Letras

Siga-nos nas redes

Perfil

Luísa Schmidt: O Ambiente em Portugal

Jornal de Letras

"Estamos perante uma problemática que não pode ficar retida nem na academia nem nos círculos mais conhecedores. Luísa Schmidt aborda as questões de forma intuitiva, atraente e com humor, mas sem comprometer o rigor científico"

Filipe Duarte Santos

As questões do ambiente e da sustentabilidade à escala global, nacional e local estão cada vez mais na ordem do dia. A situação é em geral melhor nos países com economias avançadas mas mesmo nestes os desafios e os riscos são permanentes e têm tendência a agravar-se. Se quisermos saber como Portugal evoluiu neste domínio, quais os nossos problemas específicos, os nossos sucessos e riscos, as nossas dificuldades, é imprescindível ler o novo livro de Luísa Schmidt, Portugal: Ambientes de Mudança. Erros, Mentiras e Conquistas. Luísa Schmidt é uma socióloga, investigadora do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, especializada na sociologia do ambiente e da comunicação social. Para além da sua atividade científica tem sido em Portugal um exemplo pioneiro e impar de informação, sensibilização e debate sobre as questões do ambiente e da cidadania. Estamos perante uma problemática que não pode ficar retida nem na academia nem nos círculos mais intelectualizados e conhecedores. Luísa Schmidt aborda as questões de forma intuitiva, atraente e com humor, mas sem comprometer o rigor científico.
O livro faz uma síntese dos artigos publicados na coluna “Qualidade Devida”, do Expresso, desde 1990, com notável persistência. Está organizado em nove capítulos onde certamente cada leitor irá encontrar o seu tema ambiental preferido. Encontramos todos os grandes desafios atuais da sustentabilidade focados no caso de Portugal: águas, esgotos e tratamento; resíduos; poluição atmosférica e saúde pública; alterações climáticas; energias clássicas e renováveis; ordenamento do território e paisagem; conservação da natureza; litoral e finalmente um capítulo muito importante sobre cidadania, participação e informação.
Em todos eles se manifesta a convicção de que as pessoas são racionais e suscetíveis de compreenderem a importância do ambiente para assegurar a qualidade de vida e bem-estar no presente e no futuro, tanto da nossa geração como das vindouras. Identificam-se os bloqueios, os interesses instalados de curto prazo, a ganância de alguns, a arrogância e a negligência dos poderes públicos, mas também os avanços, os sucessos e a sensibilidade e consciência crescentes dos problemas ambientais desenvolvidas em Portugal. A comunicação social de qualidade é atualmente um veículo privilegiado e essencial para alterar os comportamentos de modo a atingir uma desenvolvimento mais sustentável.
Há 57 anos que C.P. Snow proferiu uma palestra em Cambridge sobre The Two Cultures and the Scientific Revolution mas continuamos através do mundo com grande dificuldade em providenciar uma educação que assegure um mínimo de literacia em ambas as culturas. Porém, o nosso futuro comum à escala global e nacional depende progressivamente de uma intensa colaboração multidisciplinar e interdisciplinar entre, por um lado, a ciência e especialmente a tecnologia e, por outro, as ciências sociais e humanas, devido, em parte, à complexidade crescente dos problemas e das suas soluções possíveis.
Na área do ambiente é necessário que os conhecimentos e as problemáticas sejam comunicadas e debatidas de forma eficaz com os atores chave e que as decisões resultem de uma ampla participação. O livro da Luísa Schmidt constitui uma contribuição importante para essa comunicação e debate em Portugal.

Lisboa, 12 de dezembro de 2016

* Filipe Duarte Santos, doutorado em Física Nuclear pela Un. de Londres e prof. na Un. de Lisboa e em outras universidades dos EUA e Europa, é também um reputado especialista nas áreas de Ambiente e Alterações Globais, Prémio Un. de Lisboa em 2008