Uma citação de John Steinbeck abre a primeira das mais de 170 páginas deste livro: "Não são as pessoas que fazem as viagens mas as viagens que fazem as pessoas." E é uma citação justa com tudo o que se encontra a seguir, um conjunto de textos que vagueiam entre a crónica, o ensaio, a reportagem, o diário e a memória.

Alguns são conhecidos dos leitores da Geografia das Amizades , a crónica que Gonçalo Cadilhe assina todos os meses nesta revista, outros são inéditos.

Mas em todos perpassa o olhar atento, desassombrado e profundamente sensível do escritor que, desta vez, se apresenta da seguinte forma: "Tenho mais de 40 anos e amo Portugal de preferência de longe e explicado a estrangeiros."

Em livros anteriores, Gonçalo "perseguia um itinerário predefinido como um torpedo" e não se desviava um quilómetro do objectivo traçado, fosse ele o de dar uma volta ao mundo sem aviões (Planisfério Pessoal), de atravessar o continente africano por terra (África Acima) ou de escrever a biografia de Magalhães nos lugares onde ela foi vivida (Nos Passos de Magalhães).

"Eram viagens complicadas, por vezes perigosas, com pouca liberdade de transgressão do seu leitmotiv, da sua declaração de princípios e por isso tudo eram viagens praticamente irrepetíveis. Daí, a ideia da partilha: "É pouco provável, leitor, que tu alguma vez faças estas viagens, mas não te inquietes porque eu já as fiz por ti."

O objetivo de Um Lugar Dentro de Nós é diferente. Com este livro, Gonçalo Cadilhe só tem um compromisso com o leitor: "Inspirar-te com as viagens dos outros para que tu cumpras a tua." E a verdade é que logo às primeiras páginas se fica com vontade de fazer a mala e partir. Nem que seja para dentro de nós.

Um Lugar Dentro de Nós
De Gonçalo Cadilhe
Edição: Clube do Autor
(15,50€)