Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Recordar é viver no Café Memória

Juniores e Seniores

  • 333

Imagem de arquivo

Adriana Morais

A Associação Alzheimer Portugal realiza no sábado, dia 6, a primeira edição do Café Memória, um encontro que ajuda a manter viva a memória

Se recordar é viver, as pessoas com problemas de memória ou demência morrem todos os dias um bocadinho. Para lhes prolongar a vida, a Associação Alzheimer Portugal e a Sonae Sierra uniram-se e desenvolveram o Café Memória.

A ideia é criar um local de encontro que, num ambiente descontraído, promova a troca de experiências e de conhecimento entre pacientes, cuidadores e profissionais de saúde.

Contribuir para a melhoria da qualidade de vida e do isolamento social são os principais objetivos do projeto, que conta com Margarida Pinto Correia no lugar de embaixadora.

Além da apresentação de um tema por um orador convidado, os encontros também contam com atividades lúdicas, nas quais não faltará uma pausa para café.

A participação é gratuita e precisa de inscrição prévia. Basta aparecer no C.C. Colombo, em Lisboa, no primeiro sábado de cada mês ou no CascaiShopping no terceiro sábado de cada mês.

As primeiras edições acontecem a 6 e 20 de abril nos restaurantes Portugália, um dos parceiros empresariais da iniciativa, dos respetivos centros comerciais.  

Durante a apresentação do Café Memória. Da esquerda para a direita: Catarina Alvarez, coordenadora do projeto, Margarida Pinto Correia, embaixadora, Elsa Monteiro, Diretora de Sustentabilidade da Sonae Sierra, Alexandre Castro Caldas, em representação do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa e Maria do Rosário Zincke dos Reis, em representação da Associação Alzheimer Portugal

 

O conceito começou por ser implementado no Reino Unido, há mais de dez anos. Atualmente, integra o Plano Nacional Inglês para as Demências e já existem mais de 60 Memory Café no país. Em 2011, foi a vez de os EUA criarem o seu primeiro Café.

Em Portugal, estima-se que existam 153 mil pessoas com demência, destes, 90 mil terão doença de Alzheimer.

O projeto conta com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Montepio e Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa.

Mais informações em http://www.cafememoria.pt/.