Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

FOTOS: Festival transforma bairro social em galeria de arte urbana

Juniores e Seniores

  • 333

Celebrar a interculturalidade é um dos objetivos do festival O Bairro i o Mundo, que começa hoje. A programação inclui teatro, cinema, dança, gastronomia e, até, um concerto com a filarmónica da PSP e os rappers do bairro da Quinta da Fonte, Loures

A conferência Os Nossos Heróis, Histórias na Primeira Pessoa realizou-se na sede da Lusitânia Seguros, em Lisboa.
1 / 12

A conferência Os Nossos Heróis, Histórias na Primeira Pessoa realizou-se na sede da Lusitânia Seguros, em Lisboa.

A conferência é uma iniciativa conjunta da VISÃO e do Montepio.
2 / 12

A conferência é uma iniciativa conjunta da VISÃO e do Montepio.

Coube ao presidente da IMPRESA, Francisco Pinto Balsemão, fazer o discurso inaugural do evento.
3 / 12

Coube ao presidente da IMPRESA, Francisco Pinto Balsemão, fazer o discurso inaugural do evento.

Os vencedores da 1.ª edição do prémio Os Nossos Heróis foram os protagonistas do encontro, Aqui, estão sentados ao lado do doretor da revista VISÃO, Pedro Camacho.
4 / 12

Os vencedores da 1.ª edição do prémio Os Nossos Heróis foram os protagonistas do encontro, Aqui, estão sentados ao lado do doretor da revista VISÃO, Pedro Camacho.

O presidente do Montepio apelou a uma sociedade com uma consciência social mais forte e não deixou de criticar o atual código contributivo.
5 / 12

O presidente do Montepio apelou a uma sociedade com uma consciência social mais forte e não deixou de criticar o atual código contributivo.

A sala do auditório da sede da Lusitânia Seguros encheu-se de público, atento às histórias dos «heróis» descobertos pela VISÃO.
6 / 12

A sala do auditório da sede da Lusitânia Seguros encheu-se de público, atento às histórias dos «heróis» descobertos pela VISÃO.

A jovem Bárbara Silva, 18 anos, falou das suas motivações para criar um grupo de apoio aos sem-abrigo.
7 / 12

A jovem Bárbara Silva, 18 anos, falou das suas motivações para criar um grupo de apoio aos sem-abrigo.

No final da apresentação, Bárbara chamou ao palco a sua principal inspiração: a mãe.
8 / 12

No final da apresentação, Bárbara chamou ao palco a sua principal inspiração: a mãe.

Bernardo Teixeira da Motta criou o Movimento 1 Euro para acabar com as desculpas dos amigos que diziam não ter tempo para ajudar.
9 / 12

Bernardo Teixeira da Motta criou o Movimento 1 Euro para acabar com as desculpas dos amigos que diziam não ter tempo para ajudar.

O Movimento 1 Euro já doou bens no valor de 40 mil euros.
10 / 12

O Movimento 1 Euro já doou bens no valor de 40 mil euros.

Marisa Costa apresentou os projetos sociais dinamizados pela Eurico Ferreira, SA, a empresa vencedora do galardão Empresa do Ano no ano passado.
11 / 12

Marisa Costa apresentou os projetos sociais dinamizados pela Eurico Ferreira, SA, a empresa vencedora do galardão Empresa do Ano no ano passado.

Moçambique e Portugal são dois dos países onde a empresa da Trofa desenvolve mais ações.
12 / 12

Moçambique e Portugal são dois dos países onde a empresa da Trofa desenvolve mais ações.

Provar moamba, jogar bilhar indiano ou aprender a dançar a morna são algumas das possibilidades permitidas pelo festival O Bairro i o Mundo, que decorre até 23 de junho na Quinta da Fonte, Loures.

O bairro costuma aparecer nas notícias pelos piores motivos. Em 2008, foi um tiroteio entre as comunidades cigana e africana que saltou para as primeiras páginas dos jornais. No início deste ano, uma criança de 10 anos foi baleada acidentalmente.

Para contrariar o estigma associado à Quinta da Fonte, a Câmara Municipal de Loures e a associação artística Teatro Ibisco uniram-se na organização do festival, que rapidamente mobilizou vários habitantes do bairro dispostos a colaborarem.

Chamam-lhe OPA mas, não se referem a qualquer movimentação financeira. Neste caso, trata-se de uma Ocupação Pública Artística. Alterar a forma como os residentes se relacionam com o espaço público, aumentar o sentimento de pertença e requalificar várias zonas urbanas são algumas das vitórias alcançadas pela organização.

O evento arranca hoje, 20, com a inauguração do Jardim da Paz, um espaço que resulta da colaboração das várias religiões que coexistem no bairro. O concerto de abertura está a cargo da Orquestra Geração Bora Nessa, que inclui muitos estudantes da zona.

Uma das mudanças mais visíveis na Quinta da Fonte são as paredes transformadas em verdadeiras obras de arte. Além de graffiters do bairro, vários artistas internacionais participaram na requalificação do espaço.

Além de teatro, cinema, dança, workshops, gastronomia e concertos (onde se inclui um espetáculo conjunto da filarmónica da PSP com o rappers do bairro), também haverá espaço para debates.

Um deles realiza-se no sábado, dia 22, onde será discutida a habitação social numa mesa com políticos, académicos e moradores.

O bairro quer abrir-se ao mundo e, para isso, também conta com a presença daqueles que estão habituados a olhar para a Quinta da Fonte do lado de fora.

Quebrar barreiras é o principal objetivo do encontro que, no próximo ano, espera abrir as portas de outro bairro social.

Consulte a programação aqui