Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

A força do dragão

Juniores e Seniores

  • 333

Treino da equipa Dragon Force

Adoptarfama/nuno lopes/fc porto

Ricardo Ramos, responsável pelo projeto Dragon Force, explica à VISÃO Solidária como funciona a vertente social da escola de formação do Futebol Clube do Porto, que pode levar crianças carenciadas com jeito para a bola a integrar a equipa do Porto

Qual é o objectivo do Dragon Force Social e desde quando está a funcionar?

A escola de futebol Dragon Force (DF) sempre manifestou preocupações de foro social e foi desenvolvendo, de forma pontual, iniciativas nesse sentido, com a recolha de alimentos, roupa, brinquedos e livros, para doar a instituições. Esta época, quisemos ir mais longe e trazer as crianças das instituições para dentro do mundo Dragon Force. E assim nasceu o projecto Dragon Force Social, com o propósito de promover a integração social e desportiva de crianças carenciadas, contribuindo para a melhoria das suas condições de vida. Pretendemos, através das escolas de futebol DF, implementar um modelo inovador, que utiliza o futebol como factor impulsionador da inclusão social, como contrapeso dos factores de comportamentos de risco e de isolamento social. Acreditamos, através das boas práticas implementadas nas escolas de futebol, sermos capazes de ajudar estes jovens a obter uma educação à altura das suas habilidades e, acima de tudo, torná-los cidadãos mais conscientes e responsáveis. As crianças estão integradas em diferentes escolas desde o início de outubro de 2012 e aquelas que demonstrarem melhor aproveitamento desportivo e educativo serão certamente convidadas a integrar a formação do FC Porto.

Quantas crianças já foram integradas nas escolas Dragon Force no âmbito desta iniciativa?

Já contamos com 21 crianças, mas o nosso objectivo é fazer com que este número cresça de ano para ano. Dessas 21 crianças, que têm idades compreendidas entre os 6 e os 12 anos e são provenientes de 13 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), seis estão integradas na escola DF Porto, cinco na escola DF Ermesinde, três na escola DF Grijó, quatro na escola DF Valadares e três na escola DF Custóias. No entanto, o projecto não se esgota aqui. Ao longo do ano, pretendemos também envolver as IPSS convidadas e as cerca de 100 crianças institucionalizadas em diferentes eventos realizados pela escola de futebol Dragon Force, como já aconteceu, por exemplo, com a Taça da Alimentação, a 20 de Outubro, em que se procedeu à recolha de bens alimentares, roupa, calçado e material escolar. Vamos voltar a recebê-las mais à frente, com as Taças da Saúde e do Ambiente. A primeira iniciativa servirá para ajudar a elucidar as crianças para a importância da prevenção constante e da manutenção de hábitos de vida saudável e a segunda para sensibilizá-las para a questão da cidadania, incentivando-as a respeitar o meio-ambiente. A juntar a isto, serão 'convocadas' para participar em jogos de futebol nas escolas DF e terão a oportunidade de visitar o Estádio do Dragão e aí assistir aos jogos do FC Porto.

Em que consiste a bolsa de estudo atribuída?

Cada criança tem direito a uma bolsa social, que inclui o kit de inscrição, a integração numa turma que treina duas vezes por semana, uma avaliação antropométrica e acompanhamento nutricional, um acompanhamento socioeducativo e a participação em todas as actividades/torneios organizados pela escola de futebol. A bolsa tem a duração de uma época lectiva, estando a sua renovação condicionada à avaliação final de todos os profissionais envolvidos (treinadores, mediadores socioeducativos, instituições e coordenadores técnicos).

Ricardo Ramos, responsável pelo projeto Dragon Force,aquando da entrega dos diplomas às crianças integradas nesta iniciativa (à direita do Bandeirinha, antigo jogador do FC Porto)

Foto: Adoptarfama/nuno lopes/fc porto 

 

Instituições convidadas: Instituto Profissional do Terço; Colégio Barão Nova Sintra; Casa do Vale; Casa de Cedofeita; ACISJF; Aldeias S.O.S; Associação Protectora da Criança; Lar Juvenil dos Carvalhos; Tenda do Encontro; Centro de Acolhimento Mãe d`água; Lar Marista de Ermesinde; Fundação Lar Evangélico Português (FLEP); Obra do Padre Grilo.