Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

VÍDEO: O envelhecimento segundo Billy Crystal

Envelhecimento Ativo

  • 333

Para o comediante, piadas sobre a sua idade não são novidade - desde que chegou aos 50 que o faz. Em contagem decrescente para os 65, promete contar por escrito o seu ponto de vista sobre a vida e o passar do tempo 

O livro deverá ser publicado no próximo aniversário do ator, em março de 2013, fez saber a sua editora. Refletirá a sua vida, a carreira e outros aspetos do envelhecimento, como o esquecimento, as insónias, as consultas médicas infindáveis, além de pensamentos, bem-humorados, sobre como é ver-se nu!

"Enquanto ainda me consigo lembrar da minha vida, achei que deveria passar isso para o papel", disse a estrela de When Harry met Sally - um amor inevitável. "Completar 65 anos é algo para comemorar e para divertir, mas também motivo para escrever sobre todas as épocas boas e difíceis que me trouxeram até aqui", salientou ainda Crystal.

 

 A vida, segundo Crystal

(Excerto do filme "A vida, o amor e as vacas", 1991, em inglês no Video)

"Valorizem este tempo das vossas vidas, crianças, porque este é o momento em quem ainda podem fazer escolhas, e passa tão rapidamente. Quando somos adolescentes, achamos que podemos fazer qualquer coisa - e fazemos. Os vinte e poucos são um borrão. Aos trinta, começamos a construir uma família, ganhamos algum dinheiro e pensamos: 'o que aconteceu aos meus vinte anos? Aos 40 vemos crescer a barriga. A música começa a soar-nos sempre demasiado alta e uma das nossas antigas namoradas torna-se avó. Aos 50, uma pequena cirurgia. Dizemos que é uma intervenção, mas é uma operação. Aos 60, a cirurgia já é das grandes e a música continua demasiado alta mas não interessa nada porque não conseguimos ouvir, de qualquer maneira. Aos 70, estamos reformados, e trocamos os horários todos: o  jantar às duas, o almoço às dez, o café da manhã...na noite anterior. Passamos a maior parte do tempo deambulando em centros comerciais, a procura de iogurtes e a murmurar: porque os nossas filhos não nos ligam, como é possível? Aos 80, tivemos um derrame e balbuciamos qualquer coisa a uma enfermeira jamaicana, que a nossa mulher não suporta, mas a quem nós chamamos mãe! Alguma pergunta? "