Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Pessoas ansiosas envelhecem mais rápido

Envelhecimento Ativo

  • 333

Mulheres que relatam mais ansiedade têm menores telómeros, as estruturas do ADN cuja redução está associada ao envelhecimento

A ansiedade, especialmente aquela que leva um indivíduo a ter fobias, acelera o processo de envelhecimento natural do ser humano, segundo revelou um estudo do Hospital Brigham and Women, da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Na investigação publicada no periódico PLoS One, os especialistas mostraram que quanto mais ansiosa uma pessoa é, menor o tamanho de seus telómeros, uma estrutura do ADN associada à duração da vida e à boa saúde.

As estruturas em causa, os telómeros são assim uma espécie de tampas das extremidades dos cromossomas - e sempre que um cromossoma é replicado para a divisão celular, os telómeros encurtam. Essa diminuição tem sido vista por diversos cientistas como um marcador biológico do envelhecimento: quanto mais curta, maior a probabilidade do surgimento de doenças associadas ao envelhecimento, como câncer, demência e até mesmo morte.

Os autores da pesquisa analisaram amostras de sangue de 5.243 mulheres com idades entre 42 e 69 anos para medirem o comprimento dos telómeros de cada uma. Além disso, as participantes responderam a questionários sobre níveis de ansiedade e se passaram por eventos de fobia no último ano. No final, maiores níveis de ansiedade e maior número eventos de fobia foram associados a telómeros mais curtos. "Muitas pessoas tentam entender de que maneira o stress pode acelerar o envelhecimento", diz a coordenadora do estudo, Olivia Okereke, citada pela revista Veja. "Trata-se de uma pesquisa notável, pois estabelece uma conexão entre uma forma comum de stress psicológico, que é a ansiedade acompanhada de fobia, e um mecanismo plausível para envelhecimento prematuro. No entanto, precisamos de novos trabalhos para saber mesmo se é a ansiedade que provoca o encurtamento dos telómeros, ou se é o contrário."