Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Os genes do envelhecimento

Envelhecimento Ativo

Já há três anos, uma outra equipa de investigadores tinha identificado na mosca da fruta um processo celular que poderá atrasar o envelhecimento

Um trabalho de investigação permitiu identificar genes relacionados com a longevidade, o que poderá contribuir para abrandar o processo, no futuro

Segundo Pedro Magalhães, do laboratório de longevidade da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, explicou à agência Lusa,  o trabalho foi desenvolvido com o objetivo de identificar genes, processos e mecanismos que podem estar associados à longevidade em mamíferos.

"Tentamos identificar genes que tenham padrões de evolução associados a espécies de mamíferos que vivam muito tempo, como seres humanos ou elefantes", referiu.

"Estamos a identificar o que pensamos ser padrões de seleção natural que ocorrem em determinados genes para favorecer a evolução da longevidade", especificou Pedro Magalhães.

Os cientistas chegaram a genes relacionados com a resposta aos danos de DNA, alguns "previamente associados com o envelhecimento", e a genes relacionados com mecanismo de reciclagem de proteínas.

Para Pedro Magalhães, "interessante é também as funções que estes genes têm".

"Pensamos que a evolução da longevidade em mamíferos esteja relacionada com alterações específicas de alguns processos, como de reparação e de degradação de proteínas com erros, que pensamos seja importante para a evolução da longevidade", salientou.  

O cientista disse que, em modelos animais, como ratinhos, "já se consegue aumentar significativamente a longevidade e abrandar o processo de envelhecimento".

Por isso, "não tenho a menor dúvida que será possível igualmente em seres humanos, no futuro", concluiu.   

O especialista recordou que existe variabilidade em cada espécie pois "animais diferentes ou pessoas diferentes em ambientes diferentes e com genótipos diferentes vão ter longevidades diferentes".

A dificuldade no trabalho de tentar encontrar respostas para esta área da ciência é que o envelhecimento afeta várias funções do corpo, mas também é influenciado pela variedade de genes e por fatores ambientais.