Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Quando a ajuda vem do BCE

Economia Social

  • 333

BCE doa 110 mil euros a instituições de solidariedade e portuguesa EPIS é uma das escolhidas

O Banco Central Europeu (BCE) vai doar 110.500 euros a instituições de solidariedade da zona euro, entre elas a portuguesa EPIS-Empresários pela Inclusão Social, que vai receber 6.500 euros.

O BCE decidiu fazer este donativo de 110.500 euros no final de 2011, disse hoje em comunicado a instituição sediada em Frankfurt.

Segundo o BCE, esta iniciativa criada em 2010 tem por objectivo "apoiar instituições de solidariedade reconhecidas e respeitadas localizadas na área do euro, que actuem no âmbito social e humanitário e não associadas a qualquer organização política".

As organizações seleccionadas actuam nas áreas da "integração social, educativa e cultural", acrescentou.

Além da portuguesa EPIS, ainda foram seleccionadas para receber os donativos do BCE a Wheelit.be (Bélgica), a Stiftung Polytechnische Gesellschaft (Alemanha), a Junior Achievement Eesti (Estónia), a Don Bosco Teenage Care Housing Association (Irlanda) e a Greek Council for Refugees (Grécia).

Vão receber ainda a ajuda do BCE a Cooperación Internacional (Espanha), La Fondation de France (França), MUS-E Italia Onlus (Itália), The Leventis Municipal Museum of Nicosia (Chipre) e Autisme Luxembourg (Luxemburgo).

Malta Emigrants Commission (Malta), Europa Nostra (Holanda), Volkshilfe Österreich (Áustria), Zveza prijateljev mladine Ljubljana Moste-Polje e Drustvo Kljuc (Eslovénia), Nadácia HELP (Eslováquia) e Irti Huumeista ry (Eslováquia) também fazem parte desta lista.

As instituições de solidariedade foram seleccionadas em colaboração com os bancos centrais nacionais da zona euro, entre eles o Banco de Portugal.

O montante doado, explicou o banco central, tem origem nos fundos recebidos nos últimos anos "no contexto das actividades externas de membros da Comissão Executiva e do pessoal do BCE", já que de acordo com as regras deontológicas "os seus funcionários não podem aceitar em nome pessoal quaisquer honorários pagos por terceiros por actividades externas que se relacionem a qualquer título com a sua qualidade de empregados do BCE".

Estes honorários são assim doados a instituições de solidariedade.