Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Presidente do Parlamento Europeu elogia CAIS

Economia Social

  • 333

Martin Schulz (à esq.) com o presidente da CAIS, Henrique Ribeiro, e uma das responsáveis pela associação

CAIS

Martin Schulz reconheceu que a União Europeia nem sempre gasta dinheiro em coisas úteis, mas destacou que as verbas utilizadas no combate à crescente pobreza e exclusão social são bem gastas

O social-democrata alemão Martin Schulz, que realizou uma visita oficial a Portugal, visitou na sexta-feira, dia 11, o centro da Cais, em Lisboa, para conhecer o trabalho que esta associação de solidariedade social desenvolve junto das pessoas em situação de pobreza e exclusão social.

"Faço-vos esta visita porque, enquanto União Europeia, também prestamos uma contribuição ao vosso trabalho. A UE gasta muito dinheiro, nem sempre em coisas que façam sentido. O dinheiro que aqui gastamos é bem gasto", vincou o presidente do Parlamento Europeu.

Schulz reconheceu que Portugal enfrenta "graves problemas", mas garantiu que o país tem a solidariedade da UE para sair das dificuldades, um caminho que só pode ser percorrido se todos os países, ricos e pobres, "cooperarem juntos".

"Sou deputado de um país rico da Europa, mas o meu país [Alemanha] vende muitos dos seus produtos a Portugal. Se os portugueses estiverem nesta situação, não podem comprar os nossos produtos", frisou, acrescentando que a solidariedade para com Portugal é do interesse de todos, e "também dos países ricos".

O presidente do Parlamento Europeu incluiu a Cais no roteiro da sua visita a Portugal porque esta associação foi recentemente distinguida a nível internacional com o prémio "CESE - Civil Society Prize 2012", pelo Comité Económico e Social Europeu (CESE), entre outras organizações dos 27 estados membros da União Europeia.

Pela primeira vez atribuído a uma instituição portuguesa, este prémio reconheceu a Cais com o segundo lugar, pelos seus projetos de empregabilidade social, no âmbito do Programa CAHO - Capacitar Hoje, para pessoas desempregadas e em situação de pobreza extrema.