Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

IRS: Para onde vão os nossos donativos

Economia Social

  • 333

No ano passado, 230 mil portugueses doaram parte do seu IRS a quase mil instituições de solidariedade. A VISÃO foi tentar perceber onde é aplicado este dinheiro e como contribui para mudar a vida de muita gente

Nariz Vermelho: Os €68 mil permitem contratar mais «doutores palhaços»
1 / 5

Nariz Vermelho: Os €68 mil permitem contratar mais «doutores palhaços»

Liga Contra o Cancro: A instituição recebe cerca de um milhão de euros do IRS dos portugueses
2 / 5

Liga Contra o Cancro: A instituição recebe cerca de um milhão de euros do IRS dos portugueses

Revista CAIS: Receberam €25 mil de donativos de IRS que foram aplicados nos programas de inserção social
3 / 5

Revista CAIS: Receberam €25 mil de donativos de IRS que foram aplicados nos programas de inserção social

Banco Alimentar: Os €200 mil de doações permitiram a compra de novo equipamento
4 / 5

Banco Alimentar: Os €200 mil de doações permitiram a compra de novo equipamento

Vida e Paz: Os €27 mil de donativos foram canalizados para as 57 equipas que a instituição tem na rua
5 / 5

Vida e Paz: Os €27 mil de donativos foram canalizados para as 57 equipas que a instituição tem na rua

Nem a crise impediu os portugueses de serem mais solidários. Todos os anos cresce o número de pessoas que doam parte do seu IRS a instituições de solidariedade.

No ano passado, foram 230 mil os que destinaram 0,5% dos seus impostos sobre o rendimento a apoio a obras solidárias, num total de 7,1 milhões de euros, mais 500 mil que no ano anterior. A VISÃO visitou algumas destas instituições para perceber como estas ajudas têm contribuido para melhorar os serviços que estas entidades prestam aos mais desfavorecidos.

Os 0,5% que podem fazer a diferença

Para doar 0,5% do seu IRS a instituições de solidariedade basta que indique o NIF (número de identificação fiscal) da entidade que pretende ajudar, no anexo H da sua declaração de rendimentos. E isto sem que saia mais um tostão do seu bolso, pois o montante é retirado do imposto já cobrado pelo Estado.

A lista das entidades candidatas é publicada todos os anos no portal do Ministério das Finanças. Podem candidatar-se igrejas, fundações, institutos e associações de solidariedade social, desde que não tenham dívidas ao fisco.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DA VISÃO

(DE 28 DE NOVEMBRO A 4 DE DEZEMBRO)