Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Fafe emprega estudantes carenciados

Economia Social

  • 333

Imagem de arquivo

DR

A Câmara de Fafe vai 'empregar', por 200 euros mensais, os jovens do concelho que não concluíram o 12.º ano e os que não conseguiram ingressar no ensino superior

Trata-se do programa "Ser Solidário", que vai para a 12.ª edição e que privilegia os alunos oriundos de agregados familiares mais carenciados, numa forma de ajudar a compor os respectivos orçamentos.

"O programa sempre teve, desde o início, esse espírito solidário, dando prioridade aos mais carenciados, uma vertente que actualmente, com a crise que se vive, tem mais acuidade do que nunca", disse à Lusa o presidente da Câmara.

José Ribeiro acrescentou que, paralelamente, o programa pretende "diminuir a conflitualidade" no seio das famílias, já que "os jovens, quanto mais tempo livre tiverem, mais dinheiro precisam para gastar".

A partir de Outubro, e até ao final do ano lectivo, os jovens interessados podem exercer actividades ocupacionais e didácticas em instituições de solidariedade social, colectividades, escolas, infantários e juntas de freguesia.

O programa tem ainda como objectivos possibilitar um primeiro contacto dos jovens com a realidade profissional e fomentar o espírito de equipa e organização.

Os jovens têm de prestar quatro horas diárias de serviço nos cinco dias da semana, aproveitando os tempos livres no horário escolar e recebendo os jovens uma bolsa mensal de 200 euros.

A iniciativa e o financiamento são do município.

As inscrições decorrem até 15 de Setembro, no Serviço Municipal de Acção Social, devendo os candidatos apresentar prova de rendimentos do agregado familiar que integram.

O programa "Ser Solidário" já envolveu cerca de meio milhar de jovens desde a sua criação, num investimento municipal superior a 800 mil euros.

Na última edição, foram colocados 64 jovens, tantos quantos os que concorreram ao programa.