Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

"Todos nós vemos diariamente mulheres a serem assassinadas"

Campanhas

  • 333

A Associação de Mulheres Contra a Violência (AMCV) em 2012 detetou 669 situações novas de violência. A Segurança Social só é capaz de cobrir 80% das despesas e por mês a AMCV tem de enquadrar cerca de 10 mil euros

Em conferência no Fontana Park Hotel, em Lisboa, Margarida Medina Martins, vice-presidente e uma das fundadoras da AMCV - organização não governamental que intervém na área dos Direitos Humanos, especificamente na violência contra as mulheres, jovens e crianças -, explicou que apesar de a legislação portuguesa ter avançado nos últimos anos "todos nós vemos diariamente mulheres a serem assassinadas".

"As mulheres correm mais riscos agora do que corriam antigamente, porque neste momento há algum cruzamento com o crime organizado, nomeadamente o tráfico. Há riscos para os gangues e para os corruptos, quando uma mulher denuncia uma situação de violência doméstica", sublinha.

Só no ano de 2012 a AMCV detetou 669 situações novas de violência, sendo que 270 tratavam-se de mulheres e 399 de crianças.

No entanto, "a maior parte das pessoas e dos profissionais não tem consciência de que grande parte da população que passa por estas organizações são crianças e jovens", acrescenta a vice presidente. E cada mulher tem em média duas a três crianças.

Ainda durante a conferência - que teve como principal objetivo a angariação de fundos para a AMCV - Margarida Medina Martins revelou que a associação conta apenas com o financiamento da Segurança Social e que a mesma só "cobre cerca de 80% das despesas".

"Há cerca de 10 mil euros mensais que temos de ser nós a enquadrar e isso obriga-nos a mexer", conclui.

Além da angariação de fundos, a conferência de dia 22 serviu também para a AMCV, juntamente com a Partners e com o Sport Lisboa e Benfica, lançarem uma campanha de sensibilização.

Para mobilizar as pessoas perante esta causa a Partners produziu gratuitamente um vídeo criativo baseado no lema "Esquecer a primeira agressão é tão difícil como esquecer o primeiro beijo".

O filme consiste "em colocar os dois momentos totalmente opostos de uma relação numa só imagem e com um só som: a imagem forte do primeiro beijo com o som muito forte de uma agressão", explicou Tomás Fróis, sócio e fundador da Partners.

No entanto, para dar mais força à campanha, 300 casais vão beijar-se no próximo domingo, 25, no Estádio da Luz, durante o jogo em que o Benfica defronta o Gil Vicente, ao mesmo tempo que o vídeo é divulgado nos painéis.

Henrique Conceição, diretor de Marca do Sport Lisboa e Benfica, disse: "Mais do que o dever, temos a responsabilidade, a obrigação e também a vontade de ajudar a amplificar esta mensagem", até porque a dimensão do clube e do desporto assim o permitem.