Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

FOTOS: Apaixonado pela bicicleta faz 675km em duas rodas para ajudar crianças com cancro

Campanhas

  • 333

Rui Pratas, 40 anos, fez o percurso de Lisboa a Santiago de Compostela numa semana. Ao longo do percurso, contou com a generosidade de quem se cruzava no caminho e até houve quem lhe carregasse o telemóvel para que pudesse publicar mais fotos da viagem nas redes sociais

No local de partida, em frente à Torre de Belém, em Lisboa.
1 / 24

No local de partida, em frente à Torre de Belém, em Lisboa.

Rui Pratas partiu no dia 21 de abril com destino a Santiago de Compostela, Espanha.
2 / 24

Rui Pratas partiu no dia 21 de abril com destino a Santiago de Compostela, Espanha.

Na sua primeira viagem sobre rodas, Rui decidiu apoiar a associação Acreditar.
3 / 24

Na sua primeira viagem sobre rodas, Rui decidiu apoiar a associação Acreditar.

Com o seu certificado de peregrino do Caminho de Santiago.
4 / 24

Com o seu certificado de peregrino do Caminho de Santiago.

De partida para uma aventura solidária de uma semana.
5 / 24

De partida para uma aventura solidária de uma semana.

A primeira paragem do persurso foi a cidade de Santarém.
6 / 24

A primeira paragem do persurso foi a cidade de Santarém.

Rui Pratas construiu uma bicicleta de propósito para a viagem.
7 / 24

Rui Pratas construiu uma bicicleta de propósito para a viagem.

O cartaz da iniciativa Pedalar para Ajudar.
8 / 24

O cartaz da iniciativa Pedalar para Ajudar.

Com a bicicleta encostada à estátua do Papa João Paulo II, em Fátima.
9 / 24

Com a bicicleta encostada à estátua do Papa João Paulo II, em Fátima.

Uma pausa no Santuário de Fátima.
10 / 24

Uma pausa no Santuário de Fátima.

O merecido descanso, da bicla...
11 / 24

O merecido descanso, da bicla...

Rui decidiu apoiar a Acreditar, uma associação que apoia crianças com cancro e as suas famílias.
12 / 24

Rui decidiu apoiar a Acreditar, uma associação que apoia crianças com cancro e as suas famílias.

Com outros aficionados das duas rodas... sem motor.
13 / 24

Com outros aficionados das duas rodas... sem motor.

Uma chegada animada a Barcelos.
14 / 24

Uma chegada animada a Barcelos.

Junto à fronteira espanhola.
15 / 24

Junto à fronteira espanhola.

Junto a um dos marcos que assinalam o mítico Caminho de Santiago.
16 / 24

Junto a um dos marcos que assinalam o mítico Caminho de Santiago.

As famosas conchas...
17 / 24

As famosas conchas...

Rui receberia muitas mensagens de incentivo escritas em conchas.
18 / 24

Rui receberia muitas mensagens de incentivo escritas em conchas.

Rui visivelmente cansado.
19 / 24

Rui visivelmente cansado.

A 40 quilómetros do destino.
20 / 24

A 40 quilómetros do destino.

À chegada a San Martino, Espanha.
21 / 24

À chegada a San Martino, Espanha.

Com o casal de portugueses que o acompanhou na última etapa.
22 / 24

Com o casal de portugueses que o acompanhou na última etapa.

Junto à catedral de Santiago de Compostela.
23 / 24

Junto à catedral de Santiago de Compostela.

A satisfação da missão cumprida.
24 / 24

A satisfação da missão cumprida.

Ao final do segundo dia de viagem a solidão começava a tornar-se difícil. As saudades da mulher e dos filhos, Mariana de 12 anos e José Pedro de 5, apertavam forte na noite de 22 de abril. Para se distrair de tantas ausências, Rui Pratas decidiu enviar um e-mail ao animador da rádio Antena 1, José Candeias, a contar-lhe a história da sua aventura.

Um antigo condutor de pesados, agora com funções administrativas, que decidiu usar uma semana de férias em prol da sua paixão pelas bicicletas e da solidariedade. O desafio era arriscado: fazer o percurso de Lisboa a Santiago de Compostela em cima de uma bicicleta, completamente sozinho. Mas a solidão tornou-se uma miragem.

Assim que a sua história foi divulgada na rádio pública, multiplicaram-se os cumprimentos na estrada e as pessoas que se aproximavam para saberem mais.

Na bagagem, Rui levava uma música composta pelo irmão, Gonçalo Pratas e pela cunhada Inês Pupo (vencedores do Prémio SPA de Melhor Livro Infanto Juvenil 2012). Acreditar é viver é o nome do tema composto para ajudar a associação Acreditar, que apoia crianças com cancro e as suas famílias.

IMPACTO NACIONAL

Durante a viagem, Rui foi passando a palavra e pedindo às pessoas para comprarem a música na loja online iTunes. As receitas revertem na íntegra para a associação. Só no final do primeiro trimestre de vendas vão saber os resultados das vendas mas, para já, sabem que estão em 34.º lugar do topo de vendas nacional, "à frente de artistas como Adele!", exclama, orgulhoso, Rui Pratas.

A viagem começou a ser preparada em novembro. Rui até construiu uma bicicleta especialmente para a ocasião. Estipulou um orçamento de 200 euros, contando com a generosidade das pessoas que se cruzariam no caminho deste peregrino sobre rodas.

"Fui sempre muito bem recebido. O mais complicado foi a chegada a Albergaria...". Rui repetiu o procedimento habitual à chegada de todas as cidades: contactar os bombeiros. Desta vez, os soldados da paz fecharam-lhe as portas e Rui começou a pensar em dormir ao relento... Acabaria por dormir na casa da mãe do padre da paróquia. "A senhora tinha mais de 80 anos e não se cansava de repetir que era 'injusto' um peregrino chegar tão tarde", relembra, divertido.

A rotina incluía acordar à 5 da manhã e pedalar das 6 às 9 da noite, com pequenas paragens regulares de quinze minutos, fora as refeições.

Grande parte da alimentação foi oferecida, mas o mais inesperado foram as pessoas que se ofereceram para lhe carregarem o telemóvel. "Comecei a publicar os passos da viagem no Facebook por brincadeira, mas as pessoas mandavam mensagens a pedir mais fotografias e informação". Rui acabou por aceitar os carregamentos que também contribuíram para a divulgação da causa.

PAIXÃO SOBRE RODAS

A sua paixão pelas bicicletas surgiu já na idade adulta. Os colegas da transportadora desafiaram-no a ir andar de bicicleta com eles, mas nunca pensaram que Rui aceitasse. "Esta história passou-se há uns 15 anos. Nessa altura, eu pesava quase cem quilos e fumava três ou quatro maços de tabaco por dia". Seria o passeio em duas rodas a mudar o percurso da sua vida: "Nunca mais larguei a bicicleta. Comecei a treinar regularmente e deixei de fumar". Hoje, pesa 74 quilos e trocou o carro pelas duas rodas no percurso para o trabalho. Demora 45 minutos a fazer 18km, um percurso que poderia fazer em menos de metade do tempo, mas o prazer que sente e a poupança de 150 euros ao final do mês compensam.

Há seis anos, tirou um curso de Motricidade Infantil e, agora, um dos seus passatempos é ensinar crianças e adultos a andarem de bicicleta.  

Apesar do cansaço, Rui já pensa na viagem do próximo ano, que também quer associar a uma instituição de solidariedade. Em 2014, deverá ter a companhia de um casal que conheceu na viagem e que o acompanhou na última etapa, de Valência a Santiago, onde chegou a 27 de abril, tal como previsto.

"A partida está agendada para 20 de abril de 2014, mas já me sinto motivadíssimo", revela. Só falta escolher a próxima causa.

Diário de viagem em www.facebook.com/pedalarparaajudar e download da música disponível em www.pedalarparaajudar.org.