Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Ajudar outros países também é benéfico para nós

Ano da Cidadania

  • 333

Sete em cada dez cidadãos da UE afirmam sentir-se bem ao enviar ajuda para os países em desenvolvimento

Segundo 66 % dos cidadãos da UE, a luta contra a pobreza nos países em desenvolvimento deve ser uma das principais prioridades da União Europeia. Sete em cada dez pessoas (69 %) consideram que ajudar estes países é também positivo para a UE e beneficia os seus cidadãos. Estes são alguns dos principais resultados de um inquérito Eurobarómetro publicado no âmbito das Jornadas Europeias do Desenvolvimento, em Bruxelas.



Apesar das dificuldades económicas, há agora um maior numero de cidadãos da UE dispostos a pagar mais por produtos alimentares e outros produtos que apoiam os países em desenvolvimento (48 % dos inquiridos, o que representa um aumento de 4 pontos percentuais desde 2012). Entretanto, 83 % dos inquiridos pensam que é importante ajudar as populações dos países em desenvolvimento e 61 % são favoráveis ao aumento da ajuda.



Andris Piebalgs, Comissário Europeu para o Desenvolvimento, declarou a este respeito: "É muito encorajador ver que os cidadãos da UE apoiam a solidariedade global e acredito que, em conjunto, podemos contribuir realmente para a luta contra a pobreza. Temos pela frente enormes desafios: assegurar a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio e fazer da pobreza uma coisa do passado. Para poder avançar, temos de trabalhar em conjunto - a comunidade mundial deve chegar a acordo quanto a um programa comum com objetivos ambiciosos em matéria de erradicação da pobreza e de desenvolvimento sustentável. O inquérito hoje divulgado tem uma mensagem clara: os Europeus estão dispostos a dar o seu contributo para vencer este desafio."



Os cidadãos da UE consideram que, no futuro, a política de desenvolvimento deverá centrar-se no emprego (44 % dos inquiridos), na saúde (33 %), no crescimento económico (31 %) e na educação (30 %).