Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Ângelo Rodrigues filmou a sua experiência de voluntariado em Moçambique

VISÃO Solidária

O ator juntou-se à Helpo, uma organização portuguesa de apoio ao desenvolvimento, e deu aulas de teatro a crianças em Nampula, na Ilha de Moçambique. Ângelo Rodrigues documentou a sua estada para inspirar outros voluntários. Veja o vídeo em exclusivo na VISÃO

Ângelo Rodrigues entrou em contacto com a Helpo, uma ONGD focada na educação, e confessou o seu desejo de participar num dos seus programas de voluntariado. Não foi difícil conciliar a sua área de conhecimento com as necessidades no terreno da organização.

Ângelo foi convidado para dar aulas de expressão dramática às crianças do grupo de teatro do Centro Infantil da Ilha de Moçambique, construído pela Helpo em 2010. O ator da novela Poderosas (SIC) ficou responsável pela sala dos 5 anos.

Além disso, deu formação aos educadores de infância do Centro para que também eles sejam capazes de desenvolver exercícios com as crianças que lhes permitam treinar competências na área da linguagem, da criatividade, da expressão de emoções ou de outras capacidades sociais como a empatia.

O ator de 29 anos passou um mês em Nampula, em junho do ano passado, e documentou toda a experiência em vídeo. Agora, decidiu mostrar o resultado das gravações através da publicação do vídeo A Terra dos Mil Sonhos, por si filmado e realizado.

Das compras aos vendedores ambulantes, à busca por um ginásio ao ar livre ou à apresentação da peça ensaiada com os seus alunos, tudo ficou registado.

IR PARA O TERRENO

A Helpo só aceita voluntários de curta duração em casos excecionais, quando há um projeto em curso que precisa do contributo específico de alguém, como foi o caso da necessidade de formação em teatro.

No entanto, a organização aceita candidaturas espontâneas ao seu programa de voluntariado internacional durante todo o ano mas, neste caso, os voluntários passam períodos entre 6 a 12 meses no terreno. Antes da partida, há uma Oficina de Voluntariado que explica ao pormenor qual será a sua missão. Se depois desse confronto com a realidade que vão encontrar os voluntários se mantiverem interessados têm dois ou quatro meses de formação pela frente antes de levantarem voo para Moçambique ou São Tomé, onde a Helpo desenvolve os seus projetos em África.

Não é preciso ter formação específica para ajudar a Helpo, todos os voluntários são integrados em equipas já no terreno. A maior parte das tarefas estão associadas à área da educação, como apoio ao estudo, formação de animadores, criação de bibliotecas ou ludotecas.

A Helpo cobre 80% do preço das viagens e garante gratuitamente a estada, alimentação, deslocações no local e seguro de saúde. No caso de Ângelo Rodrigues, o ator pagou a viagem e a associação assegurou o alojamento e a alimentação.

Numa década de existência, entre outros projetos, a Helpo construiu 53 salas de aulas, instalou nove sistemas de aproveitamento de águas pluviais em escolas, criou 11 bibliotecas e apoiou cerca de 17 mil crianças, entre elas 454 estudantes do ensino secundário que beneficiaram de bolsas de estudo.

Além do voluntariado, também é possível apoiar a associação através dos seus programas de apadrinhamento de estudantes que variam entre os €13/mês (garante o acesso ao material necessário para frequentar a escola a uma criança) e os €30/mês (permite a matrícula de um jovem no ensino secundário, compra do uniforme escolar, material escolar e acompanhamento do percurso escolar).

Ângelo Rodrigues espera que os voluntários que se seguem tenham uma experiência tão marcante quanto ele.