Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

Usar a fotografia para tornar o mundo mais inclusivo

VISÃO Solidária

  • 333

Imagem de arquivo

Lucília Monteiro

Amadores e profissionais, todos os fotógrafos são convidados a participar no concurso que quer usar a fotografia para elogiar a diferença

Lusa (com VM)

O prazo de candidaturas ao concurso de fotografia "A Inclusão na Diversidade", iniciativa que visa "captar através de imagem o verdadeiro sentido da inclusão ou que denuncie a falta dela" decorre até 15 de outubro, indicou a organização.

Trata-se da terceira edição de um concurso organizado pela Plural&Singular, portal digital que se dedica à área da deficiência, em parceria com o Centro Português de Fotografia (CPF), local que acolherá a 3 de dezembro, Dia Internacional das Pessoas com Deficiência, a cerimónia de divulgação de resultados e premiados.

As candidaturas podem ser apresentadas pelo correio ou por email, conforme refere o regulamento e o grande objetivo da organização este ano é ultrapassar a centena de participantes, depois de uma edição de arranque que contou com 61 imagens a concurso, número que evoluiu para 85 no ano seguinte.

"Pretendemos com este concurso estimular o olhar atento das pessoas ao verdadeiro sentido de inclusão e à presença ou ausência dela no meio que as rodeia. E pretendemos fazer com que reflitam sobre o que é uma sociedade caracterizada pela diversidade", explica Sofia Pires, da Plural&Singular.

Nesta terceira edição, entre outras, é novidade o cartaz da iniciativa, inspirado no jogo eletrónico Tetris e desenvolvido pelo designer Nuno Pires que partiu das diferentes cores, formas e tamanhos das peças para ilustrar o tema do concurso "A Inclusão na diversidade".

Podem concorrer fotógrafos, amadores e profissionais, de todas as nacionalidades, a título individual ou em representação de alguma entidade.

Como elementos do júri constam o fotojornalista do jornal Público Paulo Pimenta, o presidente do Conselho Geral da Universidade do Minho Álvaro Laborinho Lúcio e um representante do CPF.

A ideia é que, e "indo ao encontro do conceito base desta iniciativa", conforme refere Sofia Pires, "num concurso dedicado a todos, seja dado protagonismo a todos e não apenas aos vencedores".

"Desmistificar a deficiência junto das pessoas sem deficiência e combater os atos discriminatórios associados às diferenças", são outros propósitos deste concurso de fotografia que é "promovido em prol de uma sociedade verdadeiramente inclusiva na diversidade".