Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

As crianças com Trissomia 21 também podem ter alma de bailarinos

VISÃO Solidária

  • 333

As aulas de movimento corporal e expressões para crianças com Trissomia 21 (Síndrome de Down) abrangem alunos dos 9 aos 14 anos e podem ser acompanhadas pelos cuidadores responsáveis

Gonçalo Rosa da Silva

A escola de dança da Companhia Nacional de Bailado (CNB), em Lisboa, vai ter, pela primeira vez, aulas de movimento para crianças, dos 5 aos 9 anos, com Trissomia 21

Lusa (com VM)

A escola de dança da Companhia Nacional de Bailado (CNB), em Lisboa, abriu o seu primeito ano letivo com aulas para crianças, dos 5 aos 9 anos, com Trissomia 21.

As inscrições, abertas desde julho, vão continuar enquanto existirem vagas para as quatro turmas de crianças, duas para os 5 e 6 anos, e duas dos 7 aos 9 anos, indicou fonte da CNB, contactada pela agência Lusa.

As aulas de movimento corporal e expressões para crianças com Trissomia 21 (Síndrome de Down) abrangem alunos dos 9 aos 14 anos e podem ser acompanhadas pelos cuidadores responsáveis.

Estas aulas inserem-se no projeto da CNB "Todos com diferenças mas todos bailarinos", realizado em colaboração com a Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 e o Centro de Desenvolvimento Infantil Diferenças.

Ainda de acordo com a CNB, estas aulas para crianças e jovens com limitações físicas decorrerão uma a duas vezes por semana, enquanto as aulas regulares decorrerão duas vezes por semana, com possibilidade de acontecerem também ao sábado.

Os alunos serão convidados a assistir a ensaios e espetáculos, familiarizando-se com o quotidiano profissional dos bailarinos, segundo a mesma fonte.

A concretização do projeto da escola de dança da CNB para crianças, inserido na nova temporada de 2016/2017 e nas iniciativas das celebrações dos 40 anos da entidade, em 2017, foi anunciada em julho pela diretora artística da companhia, Luísa Taveira.

Na altura, a responsável justificou a concretização do projeto - que decorrerá nas instalações da CNB, na rua Vítor Córdon, em Lisboa -- com o objetivo de criar "outras ofertas para o público".