Visão Solidária

Siga-nos nas redes

Perfil

ONG portuguesa procura voluntários dispostos a ajudarem a criar novos negócios

VISÃO Solidária

Os voluntários terão de pagar a viagem e a alimentação, sem se preocuparem com o alojamento e as despesas de trabalho

DR

A Move, uma organização não-governamental portuguesa, está à procura voluntários dispostos a apoiarem comunidades locais em Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor a criarem novos negócios

A organização não-governamental (ONG) portuguesa Move (catolicamove.com), criada há sete anos por um grupo de estudantes universitários, está a recrutar novos voluntários, com idades entre os 18 e os 30 anos, para apoiar comunidades locais em Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor.

A partir de setembro, e durante seis meses, os selecionados vão acompanhar projetos de microconsultoria (negócios criados com microcrédito) e planos de negócios locais, além de participarem em programas e debates com jovens.

Os selecionados apenas terão de pagar a viagem e a alimentação, sem se preocuparem com o alojamento e as despesas de trabalho. "É um investimento que acrescenta valor pessoal e curricular ao percurso de um jovem universitário", assegura António Ferrão, que passou pela experiência e hoje dá a cara pela ONG de empreendedorismo e desenvolvimento.

O economista ficou de tal forma motivado que continua a conciliar a sua vida profissional com este projeto de causas, que envolveu duas centenas de pessoas, mais de 600 participantes em formações e a concessão de 70 microcréditos. Além destes serviços, a organização presta apoio a desempregados portugueses de longa duração, desde 2011.

Os programas visam criar impacto real a nível comunitário e são financiados através de parcerias com empresas, além de contarem com a angariação de fundos para áreas de intervenção específicas. António Ferrão exemplifica: "Nos próximos meses vamos angariar fundos para uma incubadora de negócios em São Tomé e Príncipe e pagar despesas dos voluntários que vão acompanhar, no terreno, seis pequenas start-ups."