Faro, 19 ago (Lusa) -- As famílias que perderam habitações durante os incêndios de julho no Algarve precisarão de pelo menos 1 milhão de euros para reconstruir as suas casas, de acordo com os presidentes das câmaras de Tavira e São Brás de Alportel.

As indemnizações às famílias desalojadas deverão começar a ser atribuídas já em setembro, ao abrigo de contratos locais de desenvolvimento social (CLDS) celebrados entre instituições de solidariedade social dos dois concelhos e o Governo, com o apoio das autarquias.

No concelho de Tavira, perderam-se seis habitações permanentes, o que afetou cerca de 40 pessoas. Os custos de reparação ou reconstrução total daquelas casas será, no mínimo, de 300 mil euros, mas poderá ter que ser superior, segundo disse à Lusa o presidente da Câmara de Tavira, Jorge Botelho.