Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Investimento em ativos alternativos cada vez mais rentável

Imobiliário

As residências para estudantes e para seniores estão a tornar-se produtos-estrela em todo o mundo

O investimento em "alternativas residenciais" (residências universitárias e seniores) está a aumentar em todo o mundo e excedeu mesmo todo o investimento global de retalho e industrial registado no ano 2017 ao atingir os 223 mil milhões de dólares (cerca de 200 mil milhões de euros), concluiu um estudo da consultora Savills.

Os volumes globais de investimento em residências de estudantes registaram um significativo aumento de 87% nos últimos cinco anos. "A maturidade dos mercados do Reino Unido e dos Estados Unidos, aliada à baixa oferta e à elevada procura por alojamento PBSA (Purpose Built Student Accommodation, ou seja, edifícios propositadamente construídos para os estudantes universitários) indicam que as cidades do sul da Europa oferecem as oportunidades mais fortes para novos investimentos neste setor no ano 2019", aponta-se no estudo.

Mas não só. "Também a necessidade global de alojamento multifamiliar, os segmentos de Co-living e Senior Living oferecem igualmente boas oportunidades e são classes de ativos particularmente subinvestidas no Reino Unido", acrescenta-se.

No seu relatório Global Living, a consultora imobiliária internacional menciona que a oferta de alojamento para estudantes é mais alta no Reino Unido, onde 27% de todos os estudantes podem ser acomodados, e mais baixa no sul da Europa. Na Itália, o quarto maior mercado estudantil da Europa, a taxa de oferta nacional é inferior a 5%.

Analisando os dados disponibilizados pela StudentMarketing - um fornecedor independente de investigação e dados relativos a alojamento para estudantes, a Savills identificou que a oferta é mais baixa em Roma, com uma população estudantil de 220.500, mas apenas 6.500 camas (3%), seguido pela cidade do Porto (3,5%), Florença (3,8%), Barcelona (4,9%) e Madrid (5,7%).

Estas cidades oferecem, portanto, as melhores oportunidades imediatas para os investidores, já que muitos têm fortes populações de estudantes internacionais.

“Itália está a demonstrar ser um mercado atraente para os investidores, onde a oferta é baixa e a qualidade do alojamento existente está ultrapassada. A procura é forte, mas um produto comparável limitado reflete a natureza emergente das residências universitárias, e o mercado ainda não está totalmente testado. As cidades espanholas e algumas cidades portuguesas também são caracterizadas por níveis extremamente baixos de oferta, registando uma procura elevada e uma forte subida no mercado de arrendamento", referiu Marcus Roberts, Diretor do departamento de Mercado de Capitais da Europa da Savills.

O responsável lembrou ainda que "os investidores de private equity estão particularmente ativos no mercado ibérico, com Espanha a verificar um volume recorde de investimentos no setor de alojamento para estudantes nos últimos 12 meses”.

Atualmente, o mercado português conta já com a presença de investidores e promotores como a Temprano Capital Partners, MPC Capital Group, Milestone, TPG Real Estate, Round Hill Capital e The Student Hotel e continua a somar a entrada de novos players no mercado.

ASSINE AQUI E GANHE UM SACO. Ao assinar está a apoiar o jornalismo independente e de qualidade – essencial para a defesa dos valores democráticos em Portugal