Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Procura-se T3 até 210 mil euros

Imobiliário

Direitos Reservados

A maioria dos portugueses que compra casa escolhe um apartamento para viver e apenas 20% opta pelas moradias. Apenas 6% prefere adquirir o terreno para construir uma casa à medida exata dos seus sonhos e 4% prefere uma quinta. 10% compra enquanto investidor

60% das pessoas que compra casa acaba por optar por um apartamento, idealmente com três quartos e preços até aos 210 mil euros, apurou a Decisões e Soluções, rede imobiliária com perto de 100 agências e mais de 1.000 colaboradores.

O levantamento feito a nível nacional mostra que 20% dos clientes acaba por comprar uma moradia, 10% compra enquanto investidor, 6% prefere terrenos e lotes e os restantes 4% preferem quintas e outros.

No que diz respeito a tipologias, os apartamentos T3 continuam a ser os mais procurados (40%), enquanto que 30% procura moradias T4 e 25% T3. Em termos de valores médios de aquisição, em Portugal Continental, estes variam em função de se tratar de apartamento ou moradia.

No caso dos apartamentos, os valores variam entre os 60 mil e os 180 mil euros para os T1, os 80 mil e os 200 mil para os T2, os 105 mil e os 210 mil para quem opta pelos apartamentos de tipologia T3, os 110 mil e os 320 mil no caso dos T4 e no T5 ou superiores variam entre os 120.000€ - 500.000€.

A gestão urbanística dá primazia à construção em altura junto dos grandes centros o que justifica os preços mais contidos para as moradias, habitualmente edificadas em zonas mais rurais e onde o m2 acaba por ser mais barato. Assim, segundo estudo, "as moradias podem apresentar valores médios de aquisição que no caso dos T1 variam entre os 70.000€ - 130.000€; dos T2 entre os 85.000€ - 150.000€; dos T3 entre os 90.000€ - 160.000€; dos T4 entre os 100.000€ - 170.000€ e no caso dos T5 ou superiores variam entre os 105.000€ - 450.000€".

ASSINE AQUI E GANHE UM SACO. AO ASSINAR ESTÁ A APOIAR O JORNALISMO INDEPENDENTE E DE QUALIDADE – ESSENCIAL PARA A DEFESA DOS VALORES DEMOCRÁTICOS EM PORTUGAL