"Destacámos inspetores de imediato para irem às escolas", disse o ministro aos jornalistas no final de um debate no parlamento.

Nuno Crato respondia a questões relacionadas com denúncias de fugas de informação sobre o conteúdo dos exames, nomeadamente de Português, que terão circulado entre os alunos de várias escolas por mensagem de telemóvel (sms).

Uma dessas mensagens indicava que sairia na prova de exame o Canto VI, de "Os Lusíadas", o que viria a confirmar-se, ao contrário de outras informações também postas a circular.

O ministro apenas disse que há sempre a possibilidade de "haver palpites" sobre a obra de Luís de Camões, dada a frequência com que tem sido usada nos exames.

"Se detetarmos indícios de ter havido fraude vamos imediatamente participar", disse, acrescentando que o problema está a ser tratado "com rigor".