Três pessoas foram hoje constituídas arguidas no âmbito de uma investigação que envolve o vice-presidente do Sporting Paulo Pereira Cristovão por denúncia caluniosa qualificada, informou hoje à agência Lusa fonte ligada ao processo.

Segundo a mesma fonte, os três arguidos são o vice-presidente do Sporting Paulo Pereira Cristóvão, ex-inspetor da Polícia Judiciária (PJ), o elemento que segundo a denúncia estava a depositar dinheiro na conta de um árbitro de futebol assistente e uma pessoa ligada profissionalmente ao dirigente "leonino".

Na base da investigação está uma denúncia feita pelo Sporting à Federação Portuguesa de Futebol sobre um depósito de dois mil euros na conta do árbitro auxiliar José Cardinal, dias antes do encontro entre Sporting e Marítimo, dos quartos de final da Taça de Portugal.

Pereira Cristóvão suspende mandato

Paulo Pereira Cristóvão justificou hoje o pedido de suspensão do seu mandato de vice-presidente do Sporting com os "superiores interesses", rejeitando, em comunicado enviado à agência Lusa, que este ato represente "assunção de culpa".

"Face ao ocorrido, entendi que, estando a minha honestidade pessoal, e enquanto dirigente, em causa, deveria apresentar, ao presidente do Conselho Diretivo, com efeitos imediatos, o meu pedido de suspensão do mandato como vice-presidente do Conselho Diretivo do Sporting Clube de Portugal", afirmou Paulo Pereira Cristóvão.

"Tal decisão não encerra qualquer assunção de culpa, antes pelo contrário, e deve-se única e exclusivamente, com aquilo que entendo serem os superiores interesses do Sporting Clube de Portugal", salientou.

O Conselho Diretivo do Sporting aceitou hoje o pedido de suspensão do mandato do vice-presidente Paulo Pereira Cristóvão, a pedido do próprio, informou o clube leonino no seu sítio oficial na Internet.

"O Sporting Clube de Portugal informa que o vice-presidente Paulo Pereira Cristóvão solicitou, ao presidente do Conselho Diretivo, a suspensão do seu mandato, a qual foi aceite com efeitos imediatos", refere o clube, em comunicado.

Na mesma nota, o clube confirma a realização de "buscas no Estádio José Alvalade, esta quinta-feira, promovidas pelo Ministério Público e pela Polícia Judiciária", acrescentando que foi "prestada toda a colaboração solicitada".