Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Ricardo Araújo Pereira: “Quando um empresário quer comercializar estagiários tenho o meu trabalho feito”

Festival VISÃO

Marcos Borga

Não quer ir para a política, gosta mais de escrever sobre ela, assim como a respeito de temas sociais e, sobretudo, da linguagem. Exemplificou: “Hoje está na moda escrever fodasse! É falta de educação com falta de educação”

O humorista Ricardo Araújo Pereira reproduziu este sábado, no palco da VISÃO Fest, o que se pode considerar uma versão ao vivo da sua crónica Boca do Inferno, que há anos está na última página da VISÃO.

Perante a plateia que enchia o Capitólio, o cronista começou por agradecer ao primeiro-ministro António Costa ter “feito a primeira parte” – António Costa tinha subido ao palco minutos antes para abrir o VISÃO Fest – gargalhada geral, incluindo do chefe de Governo, sentado na primeira fila.

RAP, como é também conhecido, falou sobre algumas das crónicas que escreveu para a VISÃO, das ilustrações de João Fazenda, “que está em Londres e a quem eu mando, às vezes, só uma ideia. Tipo esta semana vou escrever sobre o António Costa e… pronto”, disse, para a risota imediata do público.

O humorista escreve com frequência sobre a atualidade política e social. “Quando um empresário quer comercializar estagiários tenho o meu trabalho feito”, exemplificou. Mas o seu “tema favorito” é a “linguagem”. E brincou com aquela que diz ser a última moda: “As pessoas que escrevem fodasse!” (e soletrou “f-o-d-a-s-s-e, fódásse”. Gargalhada geral. “É uma tentativa de escrever obscenidades, mas com um erro ortográfico. É uma pessoa que quer ser mal educada, mas não consegue. É falta de educação com falta de educação”. (Recorde a crónica na VISÃO)

RAP respondeu a algumas perguntas do público sobre os limites do humor (“são aqueles que o humorista acha que devem ser”), se pensava ir para a política (“se tudo correr bem, não”), quem é ele (“o facto mais saliente é ser o sócio número 12 049 do Sport Lisboa e Benfica”) e se já foi processado judicialmente por alguém. Aqui contou que o seu colega do programa Governo Sombra, João Miguel Tavares, apareceu um dia a dizer que José Sócrates o tinha processado. “Ora, eu fui processado pelo Zezé Camarinha.., há uma diferença”. Camarinha escreveu um livro chamado O Último Macho Man Português e eu fiz uma recensão sobre o livro, na crónica da VISÃO, a que dei o título O culto da homossexualidade em ZéZé Camarinha.”

Marcos Borga

A VISÃO comemora os seus 25 anos de existência no Capitólio, este fim de semana. Debates, duelos criativos, concertos, workshops e atividades que vão animar o Capitólio e trazer até si a VISÃO ao vivo nos dias 21 e 22 de Abril. A entrada é livre

Clique aqui para conhecer o programa completo

Clique aqui para mais informação sobre o festival

Clique aqui para aderir ao evento no Facebook