Porto, 22 nov (Lusa) - A organização internacional Shavei Israel lançou uma petição online pela celeridade do processo de reabilitação do capitão Barros Basto, "vítima de antissemitismo" em 1937, que conta já com cerca de 700 assinaturas de todo o mundo.

"É tempo de reabilitar o Dreyfus português", disse à Lusa Michael Freund, presidente da Shavei Israel, uma organização com sede em Israel que procura as tribos judaicas perdidas em todo o mundo.

A história remonta a 1937 quando o Conselho Superior de Disciplina do Exército decidiu pela "separação do serviço" do capitão Arthur Carlos Barros Basto por considerar que não possuía "capacidade moral para prestígio da sua função e decoro da sua farda".