Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Ex-concorrente à compra da TAP vê cair também Avianca Argentina

Exame

Avianca Argentina suspendeu a atividade por três meses, em decisão inédita, depois de o braço brasileiro já ter aberto falência e de toda a gestão da holding ter passado para a americana United

A Avianca Argentina, parte da holding Avianca, empresa detida pelo colombiano German Efromovich, que por duas vezes entrou na corrida pela compra da TAP, anunciou a suspensão de todas as atividades comerciais durante três meses. Segundo informação dada pelo presidente-executivo da Avianca Argentina à agência de informação de Buenos Aires, a companhia aérea está a entrar em fase de reestruturação da sua rede e do seu modelo de negócio.

A Avianca Argentina deixou de voar no domingo, 9 de junho, e deve durar pelo menos 90 dias, segundo informações da ANAC daquele país. “Com as atuais aeronaves e a concorrência que existe, não é viável continuarmos a operação”, adiantou Carlos Colunga, responsável da companhia. Atualmente a Avianca Argentina estava a operar somente duas rotas internas e encolheu a sua força de trabalho de 500 para 142 colaboradores em apenas um ano.

Esta decisão surge apenas duas semanas depois de as operações de a Avianca Brasil serem suspensas, também por questões de negócio. German Eframovich, o até agora todo o poderoso milionário boliviano com outras três nacionalidades, foi afastado da gestão da Avianca, empresa que salvou da bancarrota no início dos anos 2000.

O empresário contraiu um empréstimo junto da United e deu a sua participação na Avianca como colateral, tendo começado a falhar os pagamentos praticamente depois de ter assinado a dívida.