Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

TAP dá prémios superiores a 1 milhão de euros em ano de prejuízos

Exame

DR

Os representantes do Estado no conselho de administração da TAP marcaram para hoje reunião de emergência para discutir o assunto.

Mais de 100 trabalhadores da TAP, entre os quais um responsável máximo pela área do marketing, receberam no ano passado um total de mais de €1 milhões em prémios. Os bónus foram pagos num ano em que a TAP teve prejuízos de €118 milhões.

Segundo a lista a que a VISÃO teve acesso, os prémios que foram distribuídos oscilam entre os €1 021, o bónus mais baixo, e os €110 mil atribuídos a um colaborador ligado ao conselho de administração, bem como a um responsável da área das receitas.

Há ainda um bónus no valor de €88,2 mil e outro membro ligado ao conselho de administração terá recebido €14,2 mil. No total, segundo a lista, terão sido 119 os trabalhadores abrangidos pelo pagamento, chegando-se a um total de €1,17 milhões.

A VISÃO contactou a TAP e um dos colaboradores que terá recebido um dos valores mais elevados. Em resposta, a direção de comunicação da empresa disse que "nenhum membro da comissão executiva recebeu prémio" e que "a TAP não comenta a sua política de mérito."

O Sitava (Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos) confirmou à Lusa a distribuição dos prémios. Paulo Duarte, coordenador do sindicato, estranhou a prática da TAP de escolher apenas alguns colaboradores para receberem os prémios, uma vez que em 2017, ano de lucros, "os prémios foram distribuídos por todos” de forma igual.

Segundo o Negócios, os representantes do Estado na companhia marcaram para esta quinta-feira uma reunião extraordinária urgente do conselho de administração da TAP. Os seis membros da administração revelam-se "bastante incomodados" com a decisão de distribuir estes prémios.

A companhia aérea TAP S.A., liderada por Antonoaldo Neves é detida a 100% pela TAP SGPS, que por sua vez está a 50% nas mãos do Estado (Parpública) e do consórcio privado Atlantic Gateway (45%, distribuídos entre o empresários David Neeleman e Humberto Pedrosa).

A TAP tem em curso, até 18 de junho, uma emissão de obrigações com a qual espera levantar no mercado €50 milhões, que vencem em 2023. O montante a levantar junto do mercado destina-se, segundo a empresa, a "consolidar o passivo."