Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Portugal: notas de 10 e 20 euros representam 87% dos levantamentos

Exame

D.R.

Números do Banco de Portugal revelam ainda que foram apreendidas cerca de 18 mil notas falsas

As notas mais levantadas do Banco de Portugal, em 2018, foram as de 10 e 20 euros, sendo que as menos requisitadas foram as notas de 200 euros, revela no seu Relatório da Emissão Monetária o regulador nacional. No documento, a instituição liderada por Carlos Costa salienta que “ao longo do ano, foram levantados do Banco de Portugal 11 261 milhões de euros em notas (660 milhões de notas), mais 3,2% do que em 2017, e depositados 14 056 milhões de euros em notas (690 milhões de notas), sobretudo por empresas de transporte e tratamento de valores, em nome das instituições de crédito”. Destas, as de “ 20 e de 10 euros foram as mais procuradas em Portugal, ao representarem, respetivamente, 47,5% e 40,1% da quantidade de notas levantadas no Banco de Portugal em 2018. A nota de 200 euros foi a menos requisitada”.

O banco central fez ainda saber que o número de notas e moedas contrafeitas a entrar na economia portuguesa se manteve residual. A instituição conseguiu retirar de circulação 18 047 notas falsas. Nas moedas contrafeitas, o número ficou-se pelos 2 801. As notas mais falsificadas são as de 20 e 50 euros, enquanto as moedas de 2 euros são os principais alvos de apreensão.

O relatório do Banco de Portugal nota também que nas operações de montante mais reduzido, os portugueses continuam a preferir pagar em dinheiro, apesar de os outros meios de pagamento – cartões, aplicações informáticas entre outros – estarem a crescer de forma acentuada. O Relatório de Emissão Monetária divulga informação detalhada sobre as atividades de produção, distribuição, controlo da genuinidade e qualidade das notas e moedas em Portugal,