Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Segunda-feira há mais 250 trotinetes em Lisboa

Exame

São já nove as marcas de trotinetes com veículos a operar em Portugal. A norte-americana Bird é a mais recente a juntar-se à família

Lime, Iomo, Voi, Tier, Flash, Hive, Wind, Bungo... e agora Bird. A partir da próxima segunda-feira, 1 de abril, há mais uma empresa de trotinetes elétricas a chegar a Lisboa, desta vez a norte-americana, sediada na Califórnia.

Numa primeira fase, serão disponibilizados 250 veículos e o número crescerá de acordo com a procura. Lisboa passará assim a ser nona cidade europeia a contar com o serviço da Bird, depois de capitais como Madrid, Londres, Paris ou Bruxelas. A apresentação oficial do serviço foi feita esta quinta-feira.

Com cerca de meia centena de locais designados para estacionamento, os veículos vão estar disponíveis entre as 7:00 e as 21:00. A empresa garante que todas as noites todas as trotinetes serão recolhidas para recarregamento e reparações, uma tarefa que será realizada numa primeira fase por quatro pessoas com o apoio de uma empresa gestora de frotas. No total, há 11 pessoas a trabalhar em Portugal com a Bird, um número que deverá crescer nos próximos meses.

A forma de funcionamento será semelhante à das outras operadoras já em Lisboa, utilizando uma aplicação para desbloquear o veículo e com o pagamento de €1 para ativação e 15 cêntimos por cada minuto adicional.

Segundo Yenia Zaba, diretora de comunicação da empresa para a área da Europa, os contactos com a Câmara de Lisboa para instalação da rede duraram quatro meses, que permitiram definir "uma solução à medida da cidade". A companhia diz que não teve de pagar qualquer licença para operar em Lisboa e garante que está a trabalhar com a autarquia nos esforços de regulação da atividade.

A responsável defendeu que a introdução desta frota, que se junta aos milhares de veículos do mesmo género já espalhados pelas ruas da capital, pode ajudar a combater o congestionamento da cidade. E insistiu na necessidade de formar os utilizadores para o uso responsável destes veículos, que têm sido associados nos últimos meses a acidentes e ocupação abusiva de espaço: "Queremos ser responsáveis e ensinar essa responsabilidade."

Convidado para o evento pela empresa, o presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa mostrou-se preocupado com a ausência de fiscalização da condução destes veículos, nomeadamente a circulação em cima dos passeios: "É proibido, mas o que é que acontece? Não tem acontecido nada porque tem havido uma inatividade preocupante por parte das autoridades, em particular as polícias," defendeu José Miguel Trigoso.

Fundada em 2017 por Travis VanderZanden, o atual CEO, a empresa de Santa Monica é considerada unicórnio (avaliação superior a $1 000 milhões). Segundo a Crunchbase, já levantou $415 milhões em cinco rondas de financiamento desde 2017 , a última das quais avaliada em $300 milhões e realizada em junho do ano passado, que lhe concedeu o estatuto. No total, segundo a empresa, estas trotinetes já estão presentes em cerca de 120 cidades dos Estados Unidos e Europa, além de Tel Aviv (Israel).

A Lime foi a primeira empresa a estrear o modelo de trotinetas em Lisboa, em outubro de 2018. O leque foi crescendo e, menos de um ano depois, já existem pelo menos nove marcas representadas na capital. Algumas delas estenderam-se entretanto a cidades como Coimbra (caso da Lime) e Faro (Voi e Flash).

ASSINE AQUI A VISÃO E RECEBA UM SACO DE OFERTA