Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Altice Labs é a Melhor Empresa do Ano entre as 500 Maiores e Melhores

Exame

Luis Barra

A parceria EXAME, Informa D&B e Deloitte distinguiu, entre as 500 Maiores Empresas do País, a Melhor do Ano e as Melhores em duas áreas e 13 mercados. Conheça aqui todas as premiadas no evento apoiado pelo Bankinter.

A Altice Labs foi distinguida como a Melhor Empresa do Ano na edição de 2018 dos Prémios 500 Maiores e Melhores Empresas. O título foi atribuído esta quinta-feira, 6 de dezembro, no evento anual dos prémios, que pôs ainda em evidência mais de uma dezena de empresas através de dois prémios especiais e em 13 mercados-chave da economia nacional.

A Altice Labs, sucessora da PT Inovação laboratório de inovação do grupo Altice em Portugal, desenvolve soluções de telecomunicações para mais de 35 países e os seus produtos são usados por mais de 250 milhões de pessoas no mundo.

"Este é um reconhecimento do ecossistema de inovação que temos mantido, da forte ligação à academia e com os parceiros industriais e com as micro, pequenas e médias empresas. É um prémio para a engenharia portuguesa," destacou Alcino Lavrador, diretor-geral da Altice Labs, durante a entrega do prémio.

Além do galardão Empresa do Ano (que recebeu pela segunda vez), a companhia pertencente ao universo Altice Portugal (por sua vez liderado por Alexandre Fonseca) venceu em simultâneo o prémio de Melhor Empresa no mercado de tecnologia, media e telecomunicações - a quinta vez que tal acontece - , num ranking em que se seguiram a IBM Portugal e a Coficab Portugal.

Alcino Lavrador salientou ainda a dedicação e ousadia de todos os colaboradores da empresa que "desafiaram as grandes multinacionais do setor", sublinhando a resistência da empresa às "convulsões dos últimos anos que são conhecidas de todos."

"Um país não é mais evoluído por ter acesso à tecnologia mais avançada, mas por saber criá-la," finalizou, numa alusão a palavras do homem que esteve na origem da PT Inovação, José Ferreira Pinto Basto. "É o que tentamos fazer todos os dias," acrescentou.

Outras duas empresas em evidência nesta edição das 500 Maiores e Melhores foram a TAP e o Pingo Doce, a quem foram atribuídos os dois prémios especiais deste ano.

Depois de um ano (2017) em que os lucros da companhia aérea ajudaram as contas do grupo TAP a regressar ao verde ao fim de uma década, a performance da transportadora de bandeira foi distinguida com o prémio de Maior e Melhor Exportadora. Aquela que é a quinta empresa nacional em termos de volume de negócios foi a que mais contribuiu em exportações (€2,66 mil milhões) no último exercício, uma subida homóloga de 31% que coincidiu com novos recordes no turismo nacional.

Já o título da Maior e Melhor Criadora de Emprego na economia nacional coube este ano a uma habituée nesta categoria: o Pingo Doce, que emprega acima de 25 mil pessoas em mais de 400 lojas, foi a segunda maior em receitas geradas e a quarta com maior variação no número de empregados no acumulado, com quase 3 100 novos colaboradores dos últimos três anos. A criação de lojas de proximidade e de centros logísticos têm sido duas âncoras de referência para o crescimento do emprego.

Mais de uma dezena de mercados em foco

A 29.ª edição do estudo, uma parceria da revista EXAME com a Informa D&B e com a Deloitte, destacou ainda vencedores em mais de uma dezena de mercados a nível nacional, num ano em que as exportações impulsionaram o volume de negócios da generalidade das maiores empresas e marcado por crescimentos no emprego apesar da estagnação dos lucros (pela positiva, Madeira e Alentejo destacaram-se neste capítulo).

No mercado da energia e dos recursos, que se manteve com o maior peso na geração de receita entre os analisados, a Repsol Gás Portugal distinguiu-se na edição deste ano como a Melhor Empresa. Aliás, o grupo de origem espanhola levou para casa dois prémios, já que a Repsol Polímeros – que exporta 90% do que produz – foi considerada a melhor também no mercado dos materiais de base.

Num ano marcado pela expansão do negócio, a Modelo – Distribuição de materiais de construção - empresa que gere a marca de retalho MaxMat – conquistou o prémio de melhor no mercado da construção e imobiliário, enquanto a Ferpinta repetiu a liderança no mercado de metalomecânica e equipamentos, num exercício em que o seu volume de negócios cresceu a dois dígitos e a rentabilidade do ativo melhorou.

Com 300 voltas ao mundo por ano (o percurso total feito pelos seus veículos), a Brisa Operação & Manutenção brilhou no mercado dos transportes e logística - depois de na edição passada ter ganho o título de Empresa do Ano.

Na área do consumo, quatro galardoadas: a Tabaqueira II – que viu a rentabilidade das vendas melhorar para quase 40% - no mercado de alimentação, bebidas e tabaco; a Cofemel – dona da marca de roupa Tiffosi e que conta cerca de 800 trabalhadores – ganhou no mercado de têxteis, vestuário e couro; a Continental Mabor, que apesar dos constrangimentos de ligação rodoviária à sua fábrica investiu €250 milhões em cinco anos e levou para casa a distinção de melhor no mercado automóvel; e a L’Oreal Portugal, cada vez mais atenta ao segmento millenial, a melhor no mercado de consumo e serviços associados.

A Labesfal – Laboratórios Almiro, unidade detida pela alemã Fresenius Kabi, venceu no mercado da saúde, num exercício em que assistiu ao crescimento das receitas, das exportações e do número de colaboradores. Ainda na área dos serviços, a Sistemas McDonald’s Portugal é a melhor no mercado de turismo, restauração e lazer (distinção que coincidiu com aquilo que a empresa norte-americana diz ter sido o melhor ano de sempre para a empresa) e a Teleperfomance Portugal, a terceira que mais emprego gerou entre as 500 no acumulado de três anos, venceu no mercado dos serviços profissionais.

A seleção das vencedoras em cada mercado foi feita através da análise qualitativa da sua informação financeira (nomeadamente oito indicadores: crescimento de vendas e prestação de serviços, crescimento dos resultados líquidos, rentabilidade do ativo, rentabilidade do capital próprio, rentabilidade das vendas e prestação de serviços aferida pelos resultados operacionais, valor acrescentado bruto por vendas e prestação de serviços, solvabilidade e liquidez geral), tendo a atribuição de pontos resultante dessa análise decidido o vencedor em cada área e mercado, posteriormente ratificado por um júri constituído pela EXAME, Deloitte e Informa D&B. O Bankinter foi o main sponsor da edição de 2018.

A partir desta sexta-feira chega às bancas a edição especial das 500 Maiores e Melhores da EXAME. Através de um código impresso na revista pode ter acesso online não só ao ranking geral do estudo como às análises por mercados e por regiões, bem como à metodologia do estudo.