Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

João Portugal Ramos

João Portugal Ramos

Presidente do grupo João Portugal Ramos Vinhos

O que é um Enólogo?

Exame

João Portugal Ramos

Afinal, qual a diferença entre um enólogo e um enófilo?

Contou-me em tempos o meu Amigo Luis Groff, de Curitiba, Brasil, que na sua opinião existe uma única diferença entre um enólogo (técnico de enologia/viticultura) e um enófilo (apreciador de vinhos).

“O enólogo perante o vinho toma decisões, o enófilo (grupo no qual ele se incluía) perante as decisões toma vinho!

Mas será mesmo assim? Será que um enólogo não terá de ser também, antes de tudo o mais, um grande enófilo? Não terá de experimentar a apreciação hedonística do vinho para se sentir desafiado?

Na minha opinião, sim, certamente. O primeiro passo que alguém terá de dar antes de iniciar a sua formação de enólogo é sempre o de apreciar o vinho e se deixar intrigar pela sua filosofia e produção.

Por aqui deve-se iniciar “o nascimento” de um enólogo; a apreciação dos vinhos, a educação dos sentidos, o entusiamo pelo enorme mundo de diferenças e opções. É que não cansa nunca, e convence... e desafia!

E depois de aprender “a arte de saber apreciar um vinho” ... e depois, bom, depois é mesmo estudar, ... e são tantas as ciências envolvidas!

É a sua produção, a cultura da videira (viticultura), que tem botânica, fisiologia, ampelografia, climatologia... é a essência do vinho, com a química aplicada, a microbiologia fascinante iniciada por Pasteur, a biologia, a física aplicada e, por fim, o estudo dos sentidos humanos.

É a apreciação organolética visual, aromática e de sabores. É a sempre tão complicada apreciação organolética, pois nunca está terminada... aprende-se ao longo da vida... é como conduzir um automóvel, onde há sempre surpresas em cada curva... só termina mesmo com a chegada ao final da vida.

Mas os enólogos distinguem-se uns dos outros, como em qualquer profissão!

É que no enólogo, por maioria de razão, a componente artística marca muito a diferença entre todos.

O estudar a natureza, gostar do campo, respeitar os seres vivos vegetais... e a vontade de produzir diferente, com o que cada um entende ser a melhor forma de otimizar o trabalho da natureza, oferecem ao enólogo a sua necessidade de ser artista, de incluir o seu cunho no vinho, de acordo com a forma como interpreta a criação e a possibilidade de contribuir para o bem do enófilo.

João Portugal Ramos

João Portugal Ramos

Presidente do grupo João Portugal Ramos Vinhos