Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Science 4 You vai para a bolsa

Exame

Diana Tinoco

A celebrar dez anos de existência, a empresa fundada por Miguel Pina Martins quer dispersar 45% do seu capital no mercado acionista

A start-up fundada em 2008 quer agora dar mais um passo rumo ao crescimento. A Science4you, que se dedica à concepção e produção de brinquedos didáticos anunciou em comunicado a “intenção de lançar uma Oferta Pública de Distribuição (IPO - Initial Public Offer) sobre ações representativas do seu capital social e solicitar a respetiva admissão à negociação no sistema de negociação multilateral Euronext Growth”, lê-se em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

O principal objetivo da operação é, segundo a mesma nota, fortificar a estrutura de financiamento da empresa, que no ano passado faturou 27 milhões de euros e que dá emprego a mais de 400 pessoas.

Segundo a mesma nota enviada ao regulador, esta operação incluirá a emissão de novos títulos no valor de cerca de 8,25 milhões de euros e a venda de alguns outros atualmente detidos por acionistas da companhia, num montante que poderá chegar aos 15 milhões de euros, representativos de 45% do capital social da Science4you. Fundos como a Portugal Ventures, desde o início na estrutura acionista da empresa, poderão aproveitar esta operação para sair entretanto da companhia.

Em declarações à EXAME em junho passado, Pina Martins já afirmava que queria colocar a empresa em bolsa, embora não tivesse ainda data prevista para a operação. Na ocasião, o CEO mostrava-se “otimista” mas não quis adiantar previsões. “Mas isso é um sonho, tipo unicórnio”, afirmava na altura com uma gargalhada. “Ainda temos de crescer muito para pensar nisso.” No entanto, foram precisos apenas seis meses para anunciar esta nova fase da empresa. Esta quarta-feira, o gestor justificou: "A grande questão e a grande diferença foi o IPO da Raize, que acabou por nos fazer avançar. Falávamos com a Euronext há muito tempo mas achávamos que o mercado de capitais podia não reagir bem à nossa entrada. Mas a entrada da Raize deixou-nos com a 'pulga atrás da orelha' e falámos com investidores, bancos, CMVM, acionistas e chegámos a conclusão de que havia aqui uma oportunidade muito interessante", acrescenta.

Recorde-se que a Raize, fundada por José Maria Rego, Afonso Eça e António Marques tem 15% do seu capital disperso em bolsa na sequência de uma Oferta Pública de Venda realizada em julho deste ano. A OPV avaliou a companhia em 10 milhões de euros e a prestação em bolsa tem-se mantido positiva.

" Quando falámos [em junho passado] ainda estava mesmo longe da entrada em bolsa, e eu estava mesmo a falar a verdade", ri-se Miguel Pina Martins. O CEO da Science4You acredita que nos próximos dois meses vai ser possível ter a proposta no mercado, e está também confiante no sucesso da operação.

"Sinto-me muito contente", reforça o responsável. "Não diria há seis meses que isto ia acontecer, mas estamos muito felizes. É um sentimento misto, ainda assim porque só anunciámos a operação. Ainda falta realizá-la".

Science4You chega a livro

Livro é lançado este Natal

Livro é lançado este Natal

D.R.

Entretanto, a história da Science4You foi também já transformada em livro, sabe a EXAME. Com o título "A ciência de brincar - como transformar um trabalho de curso num negócio de milhões", esta publicação pretende ser uma análise mais exaustiva do percurso da empresa, completada por episódios que até agora ainda não eram conhecidos, esclarece Miguel Pina Martins à EXAME.

A publicação, escrita a quatro mãos pelo fundador da empresa e pelo jornalista Rui Hortelão, chega às bancas "a tempo do Natal, porque na Science4You gostamos sempre de lançar coisas no Natal", atira com uma gargalhada. "O Rui Hortelão foi a primeira pessoa com quem falei porque sempre gostei muito dos editoriais que escrevia [quando era diretor da revista Sábado].

"O livro vai muito mais a fundo no nosso percurso, fala muito de como foi o início, fala dos erros, e fala de questões mais pessoais. O Rui focou-se muito nisso como bom jornalista que sempre foi e conseguiu ir buscar coisas de que eu já nem me lembrava". Já a parte das "lições de liderança" ficaram nas mãos de Miguel Pina Martins, que celebra assim duplamenta o décimo aniversário da empresa: com o anúncio da entrada no mercado de capitais, e com um livro nas prateleiras.

A Scicence 4you produz, atualmente, na sua fábrica em Loures 18 mil brinquedos por dia – mais de 4 milhões por ano – e exporta para mais de 60 países.

Recorde aqui o trabalho de capa da EXAME de julho de 2018

Notícia atualizada às 18h39