Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

COTEC Portugal e BEI unem-se para reforçar digitalização das PME

Exame

Isabel Furtado e Jorge Portugal (presidente e diretor-geral da COTEC Portugal) e Emma Navarro, vice-presidente do BEI (na foto ao centro), esta sexta-feira na assinatura do protocolo

Alfredo Rocha

Protocolo entre as duas entidades vai ainda fazer o levantamento das melhores práticas de financiamento à inovação das PME na Europa.

A COTEC Portugal e o Banco Europeu de Investimento (BEI) vão trabalhar na criação de novos instrumentos de financiamento público-privado de inovação nas empresas e colaborar na identificação das melhores práticas neste domínio na Europa, no âmbito do Programa Indústria 4.0.

O protocolo de colaboração entre as duas entidades foi firmado em Lisboa esta sexta-feira, 19 de outubro, colocando em ligação equipas da COTEC e do Advisory HUB. Será a este departamento do BEI que ficará entregue o levantamento das práticas de referência no financiamento europeu à inovação.

Com o acordo agora alcançado, a COTEC Portugal quer usar os conhecimentos do Advisory Hub e o apoio do BEI para acelerar a digitalização das PME portuguesas para “colmatar as atuais lacunas no financiamento das empresas mais jovens e mais inovadoras” e permitir-lhe “vender mais, melhor e mais longe, através de emprego cada vez mais qualificado”, defende Jorge Portugal, diretor geral da COTEC Portugal, no comunicado em que anuncia o protocolo.

O Advisory Hub é uma parceria entre o grupo BEI e a Comissão Europeia e faz parte do Plano de Investimento para a Europa (Plano Juncker). Em Portugal o Advisory Hub conta com parceiros como a Tecparques, Business Angels Club de Lisboa, LNEG, a IFD (banco de fomento) ou a FNABA - Federação Nacional de Associações de Business Angels.

Também em comunicado, Emma Navarro, vice-presidente do BEI, destaca o contributo desta parceria para “desbloquear o financiamento da inovação em Portugal.”

A COTEC Portugal junta 343 empresas na “promoção da inovação e cooperação tecnológica empresarial.” No conjunto, representam 16% do PIB do País em valor acrescentado bruto e 8% do emprego privado.

  • Robôs, para que vos queremos?

    Exame

    Se um dia acordar e estiver uma máquina no seu lugar isso pode ser a quarta revolução industrial. A automatização está aí para tomar conta das tarefas rotineiras, mas a inteligência artificial pode ir ao infinitos. Iremos a tempo de evitar que vá mais além e conter os eventuais danos na sociedade e no emprego?