Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Um par de Josefinas contra a violência doméstica

Exame

Josefinas

A marca de calçado de luxo portuguesa associou-se à APAV e apresentou uma coleção exclusiva cuja venda reverte para a ajuda a mulheres vítimas de violência

Três modelos de ténis brancos e pretos, simples, discretos, com uma mensagem simples e criativa: a inspiração surgiu das etiquetas que, no vestuário, indica como cada peça de roupa deve ser tratada. “Parece tornar-se essencial que cada ser humano venha com uma etiqueta de ‘como cuidar’ para que não seja destruído por outra pessoa”, diz à EXAME fonte oficial da empresa do Porto.

Os símbolos de “não lavar na máquina”, “não secar” ou “não passar a ferro” remetem agora para “não magoar”, “não culpar” ou “não controlar”, numa tentativa de relembrar que qualquer relação tem por base o cuidado e o respeito.

“A violência doméstica é um crime de género, na grande maioria das vezes silencioso. Em Portugal apenas, 14 mulheres por dia são vítimas de violência doméstica”, lê-se no comunicado enviado às redações. É neste sentido que a Josefinas, companhia criada em 2013 por duas mulheres, se compromete a apoiar, durante um mês, cinco mulheres por cada par vendido da coleção You Can Leave. Os donativos serão entregues às Casas de Abrigo da APAV, para contribuir para as despesas de apoio psicológicos, jurídicos e sociais, para além de casa e alimentação para si e os seus filhos, explica ainda o comunicado.

Os três modelos da coleção You Can Leave – Leave, Speak e Strong – estão disponíveis no site oficial da Josefinas, e têm o preço unitário de 298 euros. Todos eles são feitos à mão, em Portugal, com pele e no interior e no exterior e com sola de borracha. Os lucros das vendas revertem integralmente para a APAV.

Recorde-se que esta não é a primeira vez que a Josefinas se envolve em campanhas de solidariedade e de empoderamento feminino. Na verdade, a marca de luxo portuguesa tem também uma coleção dedicada a apoiar a Women for Women international , e uma outra dedicada a apoiar crianças através da CARE, a organização humanitária internacional com programas de combate à pobreza em 14 diferentes países.

A marca esteve durante um ano presente em Nova Iorque, naquele que foi o seu primeiro espaço físico, bem perto da 2nd Avenue, uma das zonas premium da Big Apple.