Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Sporting com emissão obrigacionista suspensa à espera de estabilização da SAD

Exame

Carlos Rodrigues / GettyImages

A CMVM está à espera de acalmia na situação da sociedade anónima desportiva antes de dar luz verde ao prospeto da oferta. Esta quarta-feira demitiu-se um administrador da SAD dos leões.

Enquanto não houver estabilização na situação da SAD do Sporting a emissão do empréstimo obrigacionista do clube não deverá sair do papel, pelo menos no que toca à autorização prévia da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que continua pendente de esclarecimentos.

Fonte do regulador deu esta manhã conta a vários meios de comunicação social de que já recebeu a proposta de prospeto do Sporting para a emissão no valor de 15 milhões de euros, mas que pediu entretanto "esclarecimentos adicionais" sobre o processo ao clube de Alvalade.

Apesar de considerar normal que haja várias interações neste dossier, a mesma fonte referiu que neste caso tem havido "desenvolvimentos informativos em torno da sociedade emitente" quase diários, o que leva a que se aguarde por uma estabilização.

Segundo as declarações reproduzidas pelo Negócios ou pelo Dinheiro Vivo, a CMVM recorda que o processo necessita de autorização prévia do regulador e da aprovação do prospeto da emissão.

Entretanto o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, admitiu que há "um problema" com a emissão e responsabilizou o presidente demissionário da assembleia geral pela situação.

"É lógico que temos um problema, as pessoas vão ser responsabilizadas por este problema, mas cá estaremos para o resolver", afirmou em conferência de imprensa, citado pela Lusa, acrescentando que "a responsabilidade de esta operação estar parada deve-se a Jaime Marta Soares".

Na sexta-feira passada, apesar do clima de intranquilidade que tem marcado a vida do clube nas últimas semanas, a direção de Bruno de Carvalho manteve a intenção de avançar para a emissão, que estava calendarizada para os últimos dias de maio ou os primeiros de junho. O objetivo da emissão, que vencerá ao fim de dois anos e meio, é financiar tesouraria e estruturas do clube.

Depois de anunciar a saída de dois jogadores - Rui Patrício e Daniel Podence - e da revogação por mútuo acordo com o treinador Jorge Jesus, esta quarta-feira a SAD sportinguista comunicou a renúncia do administrador Guilherme Pinheiro.

(notícia atualizada com declarações de Bruno de Carvalho)