Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Fundação Millennium bcp lança rede social para artistas

Exame

UmbigoLAB quer ser instrumento de democracia nas artes. Iniciativa reúne artistas, curadores e agentes para promover a discussão.

Esta segunda-feira, 23 de abril, é apresentada oficialmente a UmbigoLAB, uma rede social dirigida sobretudo a artistas, curadores, galeristas, diretores de museus e agentes, que pretende ser uma resposta à tantas vezes chamada ‘elitização da cultura’. Numa altura em que o assunto tem estado na agenda do dia, com o Governo debaixo de fogo depois dos sucessivos cortes a estas áreas, a Fundação Millennium bcp anunciou em comunicado que esta rede social “tem o intuito principal de promover a exposição e discussão de obras e ideias, além de fomentar a visibilidade a profissionais da arte menos conhecidos ou em início de carreira”.Investidor exclusivo neste projeto – que está sob a alçada da revista de artes Umbigo, promovida pela mesma Fundação - a Fundação alocou 40 mil euros ao desenvolvimento desta plataforma, sabe a EXAME. A instituição pretende assim continuar a aposta nas artes contemporâneas, onde se tem destacado com uma forte aposta no mecenato também e sobretudo de jovens artistas. Daí que o surgimento da UmbigoLAB seja mais um passo para alavancar a exposição de quem ainda está em início de carreira, permitindo-lhes alguma visibilidade sem que precisem, para isso, de fazer um investimento que na maior parte das vezes não têm como obter.

Carolina Pimenta

A UmbigoLAB é uma rede social que permite que as pessoas se liguem umas às outras, mas tem também espaços para a discussão e para a exposição de obras. No entanto, e apesar de qualquer cidadão poder ter acesso às obras que os artistas decidirem partilhar na rede, e poder partilhá-la com os seus contactos, nem todos podem publicar livremente. Ou melhor, as publicações de obras de arte terão que passar pelo crivo da direção do projeto ou de artistas e curadores que ganhem notoriedade na rede antes de ficarem acessíveis ao público em geral. Desta forma, pretende-se criar um espaço privilegiado para quem, efetivamente, se move no mundo das artes. A opção é justificada pela Fundação Millennium bcp com o facto de só assim ser possível assegurar “um controlo de qualidade” .

No arranque, já fazem parte desta rede algumas dezenas de profissionais como Carolina Pimenta, Cecile Mestelan, Hugo Cantegrel, Pedro Valdez Cardoso ou Luísa Salvador.