Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

CEO da TAP lamenta pouca capacidade do aeroporto de Lisboa

Exame

Engenheiro dá lugar a engenheiro: Antonoaldo Neves sucede a Fernando Pinto, que esteve 17 anos à frente da empresa

DR

Atrasos dos voos e capacidade do Aeroporto Humberto Delgado entre as principais preocupações de Antonoaldo Neves.

Tiago Freire

Tiago Freire

DIRETOR DA EXAME

O novo presidente executivo da TAP, Antonoaldo Neves, afirmou hoje que um aeroporto com uma só pista pode chegar entre 42 a 46 movimentos por hora, recordando que a infraestrutura de Lisboa alberga apenas 40 movimentos.

"Um aeroporto com uma pista, em qualquer lugar do mundo, pode chegar de 42 a 46 movimentos por hora, o que seria muito bom. Mas isso é um processo longo e não cabe ao operador aéreo estar a definir qual a capacidade do aeroporto", afirmou o responsável, depois da apresentação de um novo vídeo de segurança da TAP, na Bolsa de Turismo de Lisboa.

Antonoaldo Neves garantiu ainda que a transportadora nacional "tem o maior interesse em que a capacidade do aeroporto aumente" e tem dedicado "seis horas por semana a discutir" a capacidade e como a poder aumentar.

Outra das preocupações admitidas pelo responsável que sucedeu a Fernando Pinto são os atrasos registados pela companhia, num contexto em que, diz, "a existência da TAP depende da pontualidade", uma vez que metade dos passageiros da transportadora apanha voos de ligação em Lisboa, que podem ser postos em causa pelos atrasos.

"Os atrasos são uma prioridade para a toda a TAP, que tem muito que fazer em relação a isso", afirmou, acrescentando que "temos de aprender a recuperar rapidamente dos atrasos, isolar o problema que temos".

Na BTL, a TAP apresentou hoje o novo vídeo de segurança, exibido em todos os seus voos, protagonizado por cidadãos estrangeiros que escolheram o nosso País para viver. Foram também revelados os novos kits de conforto a bordo, com fragrâncias portuguesas, bem como uma nova coleção de chocolates Regina, tendo como tema várias regiões portuguesas.