Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Novos créditos ao consumo superam 6.500 milhões de euros

Exame

DR

O crédito contraído para comprar carro ficou muito próximo do valor destinado a crédito para fins pessoais no ano passado, mostram dados do Banco de Portugal. Ainda assim, o ritmo de crescimento de novos créditos abrandou.

O recurso pelos portugueses ao crédito ao consumo junto da banca aumentou quase 13% no ano que passou, elevando o total de financiamento no ano aos 6,7 mil milhões de euros entre janeiro e dezembro de 2017.

Segundo os dados do Banco de Portugal revelados esta quinta-feira, 15 de fevereiro, a maior fatia do crédito concedido disse respeito a fins pessoais (2,85 mil milhões de euros), valor seguido de perto pelo montante aplicado na compra de automóvel (2,79 mil milhões de euros). O valor respeitante a cartões de crédito e descobertos totalizou 1,07 mil milhões de euros.

A maior subida relativa em relação ao ano anterior deu-se no crédito automóvel – mais 20,7% - ao passo que o crédito pessoal subiu 9,6% de 2016 para 2017. Já o valor contratado em cartões de crédito e descobertos subiu quase 2%.

Apesar do aumento, ainda assim a variação anual da contratação do total de novos créditos ao consumo, que foi de 12,6% entre 2016 e 2017, abrandou em relação à subida de 18% que tinha sido registada de 2015 para 2016. O valor associado a novos créditos ao consumo em 2017 (6,7 mil milhões de euros) é quase o dobro do registado em 2013, quando totalizara 3,7 mil milhões de euros.

A tendência de crescimento do recurso dos portugueses a crédito bancário - perante sinais de melhoria de confiança e de recuperação da economia - é também visível na contração de novos empréstimos para a compra de casa, que no ano passado emprestaram 7.441 milhões de euros para este fim (entre janeiro e novembro), um valor que é o mais elevado desde 2010.