Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Preço do imobiliário continua a disparar

Exame

José Carlos Carvalho

Em Lisboa, o valor do metro quadrado está acima dos 2 mil euros. Valor nacional é de 912 euros por metro quadrado.

Margarida Vaqueiro Lopes

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta segunda-feira aquilo que, empiricamente, tem sido verificado pelos portugueses nos últimos meses: o preço das casas não para de subir, a refletir um aumento generalizado da procura. Os dados referentes ao terceiro trimestre de 2017, expressos nas "Estatísticas de preços da habitação ao nível local" revelam que o valor mediano do metro quadrado dos alojamentos se fixou nos 912 euros, o que representa uma subida de 1,8% face ao trimestre anterior.

No topo da lista dos concelhos mais caros está Lisboa, cujo valor por metro quadrado se fixou nos 2.315 euros. Com valores acima dos 1.500 euros por metro quadrado estão ainda os municípios de Cascais, Loulé, Lagos, Oeiras e Albufeira.

No polo oposto estão Boticas, Figueira de Castelo Rodrigo e Penamacor, que aparecem como os municípios com o preço de venda de casas mais baixo do país: 118 euros, 144 euros e 162 euros por metro quadrado, respectivamente.

Em comunicado, o INE explica ainda que tal como já se tinha registado no segundo trimestre de 2017, mais de 40 municípios registaram um preço mediano de vendas de habitação acima do valor nacional. Desta vez, o destaque vai para Óbidos, que viu os preços do metro quadrado subir e fixarem-se acima dos 912 euros, enquanto São Brás de Alportel registou uma descida dos preços e está agora abaixo do valor nacional.

As mesmas análises estatísticas mostram ainda que foram registadas subidas acentuadas de preços em todas as cidades com mais de 100 mil habitantes, com destaque para a Amadora: o valor do metro quadrado subiu 16,4% face ao trimestre anterior. Em Lisboa, o aumento foi de 15,5%, no Porto de 14,1% e no Funchal - a cidade que sofreu menor alterações de valores - o incremento de preços foi de 4,1%.

Quanto às diferenças de preços entre municípios, a Área Metropolitana de Lisboa volta ao topo da tabela: é na captal que se registam as maiores diferenças de preço, sendo que a Moita apresenta o menor valor por metro quadrado (595 euros) e Lisboa o maior (2.315 euros). A menor diferença de preços entre municípios regista-se no Alentejo Litoral, onde os valores variam entre os 770 euros por metro quadrado em Santiago do Cacém e os 999 euros por metro quadrado em Sines.