Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Corticeira Amorim: Recordista nas rolhas

Exame

Corticeira Amorim

Rui Duarte Silva

Ser a maior empresa transformadora de produtos de cortiça do mundo significa, no caso da Corticeira Amorim, faturar 641,4 milhões de euros em 103 países, com uma carteira de negócios diversificada, dos aglomerados compósitos aos isolamentos, matérias-primas, revestimentos e também às rolhas que respondem, sozinhas, por 66% do volume de negócios do grupo.

Em 2016, o melhor ano na história da Corticeira, com uma quota de 35% no negócio da cortiça a nível mundial, a Unidade de Negócios Rolhas cresceu 7,6% e atingiu um recorde de 4,4 mil milhões de unidades vendidas, numa oferta dos dois cêntimos aos dois euros, pronta a cobrir todos os segmentos de mercado.

O ingrediente base na receita de sucesso da empresa serão as virtudes da própria cortiça, um material cada vez mais apreciado no mundo, mas a equipa liderada por António Rios Amorim sabe que a liderança exige “muito trabalho de casa”, uma aposta contínua na inovação, seja em produtos, tecnologia ou processos, sem esquecer a metodologia Kaizen, de melhoria contínua, apesar de século e meio de experiência. Só a Amorim & Irmãos, responsável pelo negócio das rolhas, investiu mais de 250 milhões de euros em 10 anos para consolidar a posição no mercado, porque o papel de um líder é “apontar o caminho e tentar contagiar um pouco os outros com a sua visão de negócio, criar tendências, arriscar”, diz o presidente da empresa, certo de que o futuro passa por “reafirmar a matéria-prima como material de excelência, melhorar o seu desempenho em aplicações tradicionais, sendo simultaneamente ousado na busca de novas aplicações. Assim, a par de iniciativas como a Amorim Cork Ventures, vocacionada para lançar empresas e incubar novos negócios em cortiça, da aposta nos transportes ou da investigação para acelerar o ciclo de produção do sobreiro, há novidades constantes no universo das rolhas, como a Helix, que combina cortiça e vidro numa solução de abertura fácil, ou a tecnologia NDTech, que oferece aos produtores de vinho rolhas de cortiça natural com garantia de TCA (composto químico que dá ao vinho o cheiro a rolha) não detetável.

Este artigo é parte integrante da Exame de Junho de 2017