"Quando eu era um criminoso aprendi algumas coisas nas ruas: nós fazíamos negócios todos os dias e uma das boas razões pelas quais as pessoas faziam negócios connosco é porque nós somos bons homens de negócios", disse à Lusa Louis Ferrante, que cumpriu uma sentença de oito anos e meio em cadeias de alta segurança nos Estados Unidos por atividades relacionadas com a família Gambino e por se ter recusado a incriminar os membros do clã mafioso de Nova Iorque.

Ferrante, 44 anos, atualmente autor de programas de televisão sobre a máfia, dedica-se também a escrever livros sobre o submundo do crime, como o último trabalho "Aprenda com a Máfia", publicado este mês em Portugal e que, segundo o autor, pretende dar a ensinar - sobretudo a empresários - "as regras essenciais" para se ter "êxito em negócios".