"Terminada a fase de reavaliação clínica, laboratorial e imagiológica, e considerados os documentos e informações recebidas do Hospital Miajka, em Poznan, na Polónia, pode concluir-se que o episódio verificado a 24/06/2012 ficou a dever-se a uma crise vascular cerebral, envolvendo um território vascular muito sensível", informa o comunicado emitido pelo hospital lisboeta.

Na nota, assinada pelo diretor clínico, José Roquette, e pelo diretor clínico adjunto, João Sá, é indicado que "a situação está enquadrada no espectro de um estado cardio-circulatório crónico já de há muito conhecido", mas que Eusébio "vai manter-se internado por tempo ainda não determinado, em vigilância permanente e tratamento ativo".