Os testes realizaram-se ao largo da Nova Caledónia e de Auckland durante a Segunda Guerra Mundial e mostram que uma série de dez explosões poderia dar origem a um tsunami de 10 metros de altura, capaz de inundar uma cidade costeira de pequenas dimensões.

A operação secreta tornou-se pública agora graças ao trabalho de pesquisa de um realizador e escritor neozelandês, Ray Waru, que examinou vários ficheiros militares nos arquivos nacionais.

"Suponho se que a bomba atómica não tivesse funcionado, poderíamos ter 'tsunamado' pessoas", afirmou. 

Segundo o realizador, o projeto tgerá sido arquivado em 1945, com o fim da guerra, mas as autoridades neozelandeses continuaram as experiências durante os anos 50. Os peritos concluiram então que uma só explosão não seria suficiente e que para conseguir um tsunami eficaz nos seus propósitos de destruição seria preciso usar cerca de 2 milhões de explosivos, a 8 quilómetros da costa. 

A descoberta consta do novo livro de Waru, "Secrets and Tresures", que inclui outras informações novas que constam dos registos do Departamento da Defesa, como milhares de avistamentos de OVNIs por civis, militares e pilotos.