A confirmação do envio da carta para o Eurogrupo, feita esta manhã pelo ministério da Economia, detalha que o pedido de ajuda se destina à recapitalização das entidades financeiras que o solicitem.

O valor global de ajuda, que será no máximo de 100 mil milhões de euros, só deverá ser conhecido depois de finalizarem as negociações sobre as condições do empréstimo.

Apresentado o pedido formal de ajuda, Espanha manterá negociações com Bruxelas para definir as condições e reduzir os riscos de uma possível contaminação da dívida soberana.

Na semana passada, Mariano Rajoy sublinhou que os mecanismos de ajuda que vinculam dívida soberana e dívida bancária são "tremendamente nocivos".