O Supremo Tribunal de Justiça, órgão máximo da magistratura judicial em Portugal, já decidiu decretar a nulidade das certidões envolvendo escutas em que aparece o primeiro-ministro José Sócrates

LEIA A NOTÍCIA NO SITE DO EXPRESSO