A Guerrilha da Agulha já ali se reunia nos terceiros sábados do mês. Entre encontros de tricô, croché e cursos de costura, os adeptos destas atividades manuais, foram aumentando. De tal forma, que a Casa da Esquina abriu, em abril, um café costura.

Julga-se que será o primeiro do País. Um espaço com quatro máquinas, uma de corte e coze e uma biblioteca de moldes (€5/ hora com direito a um café) onde "se partilham conhecimentos".

A brasileira Karine Queirós, por exemplo, usa o espaço para preparar as criações em burel que farão parte de uma exposição sobre as Capuchas da Serra de Montemuro. "Já cá tivemos uma rapariga a costurar figurinos para a Guimarães 2012", conta Sandra Jorge, professora de matemática e uma das responsáveis por esta casa-moradia que, há cinco anos, anda a levar mais cultura à cidade dos estudantes. Quem passa lá fora não imagina o turbilhão de ideias que fervem lá dentro. "Não somos um grupo de teatro, nem de música.

Pegamos na transversalidade e cruzamos experiências e artes", desfia Filipa Alves, produtora de espetáculos. "A Esquina é um ponto de encontro". Duas, três vezes por ano organizam uma feira de roupa em segunda mão, exposições, ateliês, tertúlias, um mercado de troca para crianças (o último foi no sábado, dia 16, no Jardim Botânico) e, mais recentemente, o ateliê Rádio dos Miúdos Fantásticos. Última nota para o bar da Casa, um local de convívio com mobiliário restaurado.


CASA DA ESQUINA
R. Aires de Campos, 6, (junto ao Convento das Carmelitas), Coimbra
T. 239 041397
Ter-Sex 11h-19h, Sáb 11h-14h
http://nacasadaesquina.blogspot.pt